baixa visão

5 fatos que você precisa saber sobre baixa visão

4.4
(22)

O termo baixa visão foi criado para identificar pessoas que possuem de 5% a 30% de visão em seu melhor olho mesmo após intervenções cirúrgicas ou uso de óculos comuns.

Ou seja, pessoas que possuem 70% da visão comprometida por algum motivo.

Em parceria com a Lenscope, a Fundação Dorina Nowill nos ajudou a desenvolver esse conteúdo muito legal que vamos trazer para vocês. Confira:

Quem era Dorina Nowill?

Nascida em São Paulo em 28 de maio de 1919, ficou cega aos 17 anos, vítima de uma doença não diagnosticada.

Desde então, aprendeu muito cedo a lidar com as dificuldades da vida. Foi a primeira aluna deficiente visual a frequentar um curso regular na Escola Normal Caetano de Campos.

Dorina sabia da carência que o Brasil enfrentava de livros em braille (sistema de escrita tátil para cegos ou baixa visão).

Por isso, criou a Fundação para o Livro do Cego no Brasil em 1946. Já em 1956, contribuiu para a elaboração da lei de integração escolar para pessoas com deficiente visual.

Se especializou em educação para cegos na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Mas, além da educação, sua preocupação sempre foi a prevenção contra a cegueira.

De 1961 a 1973, Dorina dirigiu a Campanha Nacional de Educação de Cegos do Ministério da Educação e Cultura (MEC) para o Estado de São Paulo.

Recebeu também vários prêmios e medalhas nacionais e internacionais ao longo de da sua vida pelos trabalhos à frente da Fundação Dorina.

Escreveu o livro “…E Eu Venci Assim Mesmo”, lançado em 1996. Em 2004, teve a distribuição para toda a Europa e América Latina.

Nos últimos anos de vida, se dedicou em aprofundar o trabalho da fundação que criou, junto com sua experiência e o sistema braille. Dorina Nowill faleceu dia 29 de março de 2010, anos 91 anos.

“Vencer na vida é manter-se de pé quando tudo parece estar abalado. É lutar quando tudo parece adverso. É aceitar o irrecuperável. É buscar um caminho novo com energia, confiança e fé.” – Dorina de Gouvêa Nowill

Agora, confira algumas curiosidades sobre a baixa visão:

1 – Ter baixa visão é diferente de ser cego

Ao contrário do que ainda é muito difundido, as pessoas com deficiência visual são, na verdade, caracterizadas pela ausência de visão total ou parcial.

O que determina se uma pessoa é cega ou possui baixa visão é o quanto de acuidade visual que ela possui quanto ao seu campo de visão.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) as pessoas cegas apresentam acuidade visual igual ou menor que 0,05, no melhor olho, com a melhor correção óptica.

A baixa visão se caracteriza por apresentar acuidade visual de 0,05 a 0,3 no melhor olho, com a melhor correção óptica ou nos casos em que a somatória do campo visual é de 60°, ou ainda a ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores.

No dia-a-dia, um dos exemplos é que as pessoas com baixa visão veem as pessoas, mas não as reconhecem.

A maioria não necessita de bengala longa para locomoção, mas não enxergam os nomes dos ônibus ou das placas de rua; confundem obstáculos no chão tendo dificuldades para distinguir degraus, poças d’água e buracos.

Além disso, elas não conseguem ler na lousa e letreiros de cinemas  e apresentam muita dificuldade de enxergar dependendo da iluminação do ambiente.

Sentir grande sensibilidade à luz solar também é recorrente nas pessoas com baixa visão.

2- Existem recursos capazes de minimizar os efeitos da baixa visão

Apesar de a baixa visão comprometer grande parte da capacidade visual, alguns recursos podem ajudar para uma vida melhor.

Grande parte desses recursos é promovida pela Fundação Dorina Nowill que desenvolve e divulga diversos projetos e eventos voltados para a inclusão social de pessoas com baixa visão e cegueira.

Entre os principais projetos da Fundação Dorina estão: Programas de reabilitação integral para inclusão, elaborados por uma equipe composta por profissionais multidisciplinares especializados, que vão desde o desenvolvimento da autonomia e independência, inclusão educacional  até a colocação no mercado de trabalho; formação de professores da rede regular de ensino na temática de educação inclusiva,  além de produção e distribuição gratuita de livros em Braille para todo o território nacional.

Além disso, desenvolve diversas atividades e eventos voltados para as pessoas com deficiência visual.

Para saber mais sobre esses e outros projetos desenvolvidos é só acessar o site da Fundação Dorina.

3- Pessoas com baixa visão podem usar computadores comuns

Um dos grandes benefícios do conhecimento sobre a baixa visão é que mais pessoas passaram a estudá-la e criar soluções voltadas para esse público.

Foi assim que nasceu o Projeto F123, um programa que transforma o computador que você tem em casa em um computador adaptado para quem possui baixa visão.

O software pode ser baixado gratuitamente.

Tanto para as pessoas com baixa visão, quanto para as pessoas cegas, há também softwares de voz, que fazem a leitura da tela e facilitam a navegação na internet ou no celular.

Alguns exemplos são: NVDA e DOSVOX. No celular, a configuração de acessibilidade dá acesso ao leitor de tela do sistema e permite que a pessoa ouça o que está na tela, bem como aumente a fonte para envio de mensagens e e-mails.

4-Existem diversas atividades de lazer voltadas para as pessoas com baixa visão

Pode não parecer, mas existem diversas atividades e atrações preparadas para receber pessoas com deficiência visual. Desde teatro a orquestras, os eventos são divulgados principalmente através do blog da Fundação Dorina Nowill. Confira a programação.

5- Você pode ajudar na inclusão de pessoas com baixa visão fazendo bem menos do que você imagina

O trabalho da Fundação Dorina Nowill é muito amplo, diversificado e fundamental. Isso porque eles promovem o desenvolvimento das pessoas com deficiência visual de todas as idades!

E como tudo isso é feito?

Com ajuda de doações de pessoas como você e não só através de doações em dinheiro. Você pode fazer parte dessa mudança  compartilhando em suas redes sociais, sendo voluntário e doando seus cupons fiscais. Viu como é fácil ajudar? Você nem precisa sair de casa! Saiba mais!

Você precisa de um óculos com bastante grau, mas que seja leve e resistente?

Para graus elevados de miopia, a escolha do índice de refração da lente e do tamanho da armação é muito importante.

Isso porque, essas características contribuem para um óculos com lentes mais finas, leves e mais resistentes a possíveis quedas.

Conheça todos os tipos de lentes que existem para alta miopia e faça a melhor escolha para a sua necessidade.

Ficou com alguma dúvida, deixe aqui nos comentários.

Imagem do banner: Ora Bolas Estúdio Fotográfico

baixa visão

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.4 / 5. Número de votos: 22

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Loading comments...