blefarite

Blefarite: O que é, causas, sintomas e tratamento

5
(3)

Blefarite é a inflamação das pálpebras que pode afetar dois olhos ao longo das bordas das pálpebras.

A blefarite geralmente ocorre quando as glândulas sebáceas próximas à base dos cílios ficam obstruídas, causando irritação e vermelhidão. Várias doenças e condições podem causar essa condição. 

A blefarite costuma trazer desconforto e é uma doença crônica difícil de tratar, mas geralmente não causa danos permanentes à visão e não é uma doença contagiosa.

Tipos de blefarite que existem

Existem dois tipos de inflamação da pálpebra:

  1. A inflamação do olho anterior ocorre na parte externa do olho, onde os cílios estão localizados. Caspa nas sobrancelhas e reações alérgicas nos olhos podem causar inflamação da pálpebra anterior.
  2. A inflamação da pálpebra posterior ocorre na parte interna das pálpebras, em contato com o globo ocular. Uma glândula sebácea com defeito atrás dos folículos dos cílios geralmente causa essa forma de inflamação.
blefarite

Blefarite anterior, com crostas nos cílios. Fonte da imagem: Wikipédia

Causas da blefarite

A causa exata da blefarite não é clara e pode estar associada a um ou mais dos seguintes:

  • Dermatite seborréica – caspa do couro cabeludo e sobrancelhas;
  • Infecção;
  • Glândulas sebáceas obstruídas ou com mau funcionamento em suas pálpebras;
  • Rosácea – uma condição da pele caracterizada por vermelhidão facial;
  • Alergias, incluindo reações alérgicas a medicamentos para os olhos, soluções para lentes de contato ou maquiagem para os olhos;
  • Ácaros ou piolhos pestana;
  • Olhos secos.

Sintomas

A inflamação da pálpebra geralmente é perceptível porque pode irritar os olhos e possivelmente afetar a visão. Os sintomas de inflamação incluem:

  • Coceira nas pálpebras;
  • Pálpebras inchadas;
  • Pálpebras vermelhas ou inflamadas;
  • Sensação de queimação nos olhos;
  • Pálpebras e cílios oleosos;
  • Sensação de que algo está dentro ou sobre seus olhos;
  • Olhos vermelhos;
  • Queda dos cílios;
  • Olhos lacrimejando;
  • Crosta nos cílios ou nos cantos dos olhos;
  • Sensibilidade à luz.

Fatores de risco

Um fator de risco é algo que aumenta sua chance de contrair uma doença ou condição. Os fatores de risco para blefarite incluem:

  • Dermatite seborréica;
  • Acne rosácea;
  • Alergias de contato;
  • Tabagismo;
  • Diabetes;
  • Uso de lentes de contato;
  • Conjuntivite alérgica;
  • Irritantes químicos;
  • Má higiene;
  • Maquiagem cosmética;
  • Idade avançada.

Quando ir ao médico?

Se você tiver sinais e sintomas de blefarite e que não parecem melhorar apesar de uma boa higiene – limpeza regular e cuidados com a área afetada – marque uma consulta com seu médico.

Como é o diagnóstico

Seu médico ou oftalmologista de confiança pode diagnosticar a inflamação da pálpebra. Em alguns casos, um exame físico do olho é suficiente para diagnosticar a condição.

Seu médico também pode examinar atentamente suas pálpebras usando uma ferramenta de aumento especializada. Este exame ocular verifica se há inflamação, bem como a presença de bactérias, fungos ou vírus, o que pode indicar uma infecção.

Se houver sintomas de infecção, o médico passará um cotonete em seu olho e colherá uma amostra de todo o fluido que vazar de seus olhos. Esta amostra é então examinada no microscópio.

Tratamento

Lavar sempre os olhos e aplicar uma compressa quente pode reduzir a inflamação. Dependendo da gravidade da inflamação e se sua inflamação é causada por uma infecção, seu médico pode recomendar outros tratamentos.

Remédios para blefarite

Caso a boa higiene e compressas com água morna não ajudem, o seu médico pode te receitar alguns remédios dependendo se o seu quadro seja inflamatório ou infeccioso.

Esteróides

Se você não tiver uma infecção, seu médico pode prescrever esteróides, colírios ou pomadas para reduzir a inflamação. Seu médico também pode prescrever colírios lubrificantes para interromper a irritação causada por olhos secos.

Antibióticos

Uma série de antibióticos pode tratar infecções da pálpebra com eficácia. O seu médico pode prescrever antibióticos em comprimidos, pomadas ou gotas líquidas. Os médicos geralmente prescrevem colírios quando uma infecção se espalha além da pálpebra.

Sempre siga as recomendações médicas para o tratamento da blefarite e nunca faça auto-medicação.

Sinais de melhora

Seguindo corretamente a higiene de seus olhos ou o tratamento passado por seu médico, alguns sinais da melhora do seu quadro:
Diminuição da vermelhidão dos olhos;

  • Diminuição da coceira;
  • Olhos param de lacrimejar;
  • Diminuição da queimação e dor nos olhos;
  • Diminuição da sensação de olhos secos;
  • Perda de sensação que há um objeto no olho;
  • Diminuição da inflamação nas pálpebras;
  • Desaparecimento das crostas nos cílios olhos.

Sinais de piora

Mesmo com cuidado na higiene de seus olhos, se você sentir piora ou persistência dos sintomas, não deixe de ir ao médico para iniciar um tratamento com medicação para evitar possíveis complicações.

Possíveis complicações 

  • Problemas de cílios: A blefarite pode fazer com que seus cílios caiam, cresçam de maneira anormal (cílios mal direcionados) ou percam a cor.
  • Problemas de pele nas pálpebras: Cicatrizes podem se desenvolver nas pálpebras devido à blefarite de longa duração. Ou as bordas da pálpebra podem virar para dentro ou para fora.
  • Excesso de lágrimas ou olhos secos: Secreções oleosas anormais e outros resíduos eliminados das pálpebras, como descamação associada à caspa, podem se acumular no filme lacrimal – a água, a solução de óleo e muco que forma as lágrimas. O filme lacrimal anormal interfere em manter as pálpebras úmidas. Isso pode irritar os olhos e causar sintomas de olhos secos ou lacrimejamento excessivo.
  • Terçol: O terçol é uma infecção que se desenvolve perto da base dos cílios. O resultado é um caroço doloroso na borda da pálpebra. O terçol geralmente é mais visível na superfície da pálpebra.
  • Calázio: O calázio ocorre quando há um bloqueio em uma das pequenas glândulas sebáceas na margem da pálpebra, logo atrás dos cílios. Esse bloqueio causa inflamação da glândula, o que faz com que a pálpebra inche e fique vermelha. O calázio pode desinflamar depois de um tempo ou se transformar em um caroço duro e indolor.
  • Olho rosa crônico: A blefarite pode causar episódios recorrentes de olho rosa (conjuntivite).
  • Lesão na córnea: A irritação constante causada pelas pálpebras inflamadas ou cílios mal direcionados pode causar o desenvolvimento de feridas na córnea. Não ter lágrimas suficientes pode aumentar o risco de uma infecção da córnea.

Blefarite tem cura?

Não há cura para a blefarite, mas estabelecer uma rotina diária de limpeza das pálpebras pode ajudar a controlar os sintomas e qualquer ressecamento pode ser tratado com colírios de lágrimas artificiais.

A limpeza frequente das pálpebras precisa ser continuada indefinidamente para evitar a recorrência e piora dos sintomas.

Prevenção

Para prevenir a blefarite, mantenha alguns hábitos:

  • Limpe suas pálpebras pelo menos uma vez por dia;
  • Continue a limpar seus olhos, mesmo que seus sintomas desapareçam.

Caso você tenha blefarite e esteja tratando os sintomas:

  • Não use lentes de contato enquanto tiver sintomas;
  • Não use maquiagem nos olhos, especialmente delineador, enquanto você tiver sintomas.

Mitos e verdades sobre a blefarite

Segundo à Revista Veja Bem, existem alguns mitos e verdades sobre esta doença:

Blefarite é uma inflamação não contagiosa que afeta a pálpebra.

Verdade. Essa inflamação pode ser causada por quadros de infecção, reação alérgica ou doenças cutâneas. No entanto, uma pessoa não pode transmitir para outra.

Coceira, ardência, vermelhidão e edema são sintomas de blefarite. 

Verdade. Também pode haver irritação, lacrimejamento, sensação de corpo estranho e incômodo excessivo à luz. Dependendo do tipo da doença, pode haver sintomas específicos a cada um. É importante consultar um oftalmologista diante de qualquer sinal. 

Alergia está relacionada ao aparecimento da blefarite.

Verdade. Reações alérgicas causadas pelo uso de colírios podem provocar o aparecimento da doença. Nesses casos, ela é chamada de blefarite alérgica por sensibilidade de contato.

Tratamentos caseiros são eficazes no tratamento da blefarite. 

Mito. Compressas, quentes ou frias, podem ajudar a aliviar os sintomas, mas soluções caseiras, além de não resolverem o problema, podem agravar o quadro. Somente um oftalmologista é capaz de avaliar a situação e prescrever o tratamento adequado para cada caso.

Alergia está relacionada ao aparecimento da blefarite.

Verdade. Reações alérgicas causadas pelo uso de colírios podem provocar o aparecimento da doença. Nesses casos, ela é chamada de blefarite alérgica por sensibilidade de contato.

A blefarite afeta com mais frequência pessoas que têm a pele seca.

Mito. A maior incidência se dá em pessoas com pele oleosa e que sofrem com seborreia. Em geral, o problema ocorre devido à produção excessiva de gordura produzida por uma glândula presente na pálpebra, fator que favorece o crescimento de bactérias.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *