Como os raios UV afetam sua retina

0
(0)

Que existe problemas de pele causados pelos raios UV muita gente sabe, mas e quando falamos dos olhos? Pois é, não é todo mundo que se atenta a esses detalhes da saúde visual, que além de perigosa pode trazer danos irreparáveis.  Por isso, o dia 29 de setembro é marcado pela conscientização sobre doenças degenerativas causadas na retina.

Pensando nisso, a Lenscope preparou um artigo especial sobre os prejuízos dos raios UV e de que forma podemos manter nossos olhos protegidos deles.

Aqui, vamos mostrar a importância dos cuidados com os raios ultravioletas e como evitar o surgimento desses tipos de doenças.

O que são os raios UV

Os raios UV (ultravioletas) chegam até nós pelos buracos causados na camada de ozônio. Esses raios são emitidos através da luz solar e, ao nos atingir, pode causar sérias consequências.

A exposição aos raios UV pode contribuir não só para doenças de pele como queimaduras ou câncer, mas também com doenças graves nos olhos, como a catarata e degeneração macular.

De acordo com  estudos científicos, 1% de diminuição na camada de ozônio pode causar um aumento de 0,7% de catarata e 4% de câncer de pele.

Toda primavera, no Hemisfério Sul, aparece um buraco na camada de ozônio sobre o continente. Os cientistas observaram que o buraco vem crescendo e seus efeitos tornado mais evidentes. Médicos da região têm relatado uma ocorrência anormal de pessoas com alergias e problemas de pele e visão, é o que diz uma das maiores organizações sobre conservação da natureza, WWF-Brasil.

O Hemisfério Norte também é atingido: os Estados Unidos, a maior parte da Europa, o norte da China e o Japão já perderam 6% da proteção de ozônio.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) calcula que cada 1% de perda da camada de ozônio cause 50 mil novos casos de câncer de pele e 100 mil novos casos de cegueira, causados por catarata, em todo o mundo.

raios UV

Como os raios UV afetam nossa visão

Afinal, o que é a retina?

A retina é uma camada fina de tecido, responsável em converter os raios de luz em imagem. Através de impulsos nervosos, elas são decodificadas pelo nosso cérebro.

Uma das partes mais importantes da retina, é mácula. Ela é responsável em distinguir detalhes de tudo que enxergamos. A córnea, também faz parte da estrutura ocular e é a parte externa do olho. Enquanto o cristalino, é a parte interna, atrás da pupila. A pupila junto com a íris, são responsáveis por regular a quantidade de luz que passa através de nossos olhos.

raios UV

Sistema ocular

Como os raios solares prejudicam minha visão?

É bem mais simples do que pensamos. Devido à exposição solar, os raios solares passam pela córnea, agridem nossa retina e, por fim, o cristalino. Vale lembrar também que esses efeitos são cumulativos e sentidos a longo prazo. A tendência é desenvolver alguns sintomas com o passar do tempo.

Além disso, existem dois tipos de raios UV. São eles: UVA e UVB.

Os raios UVA, são capazes de pequenas penetrar em camadas mais profundas, podendo provocar alterações na visão central, como a degeneração macular.

Enquanto os raios UVB podem danificar a córnea e o cristalino. Responsáveis pela absorção das luzes em nossos olhos.

raios UV

Incidência dos raios UVA e UVB

Como saber a incidência dos raios UV

Existem vários aplicativos que você encontra em seu próprio smartphone ou tablets ou que podem ser baixados na plataforma iOs ou Android. Nesses apps, existe uma parte indicando: “Índice UV”.

A indicação da incidência dos raios UV nesses aplicativos ocorre da seguinte forma: índice baixo, moderado, alto, muito alto e extremo. Os nomes podem variar, mas nada que fuja dessa sequência que apresentamos.

Então, a partir desses índices é possível saber as diferentes precauções que se deve ter com os raios UV. 

raios UV

Os aplicativos mais famosos, além daqueles que podem já virem com seu sistema é o ClimaTempo, o AccuWeather, o Yahoo! Weather e o The Weather Channel.

Entenda o que é e o que você precisa fazer quando esses aplicativos indicam índice baixo, moderado, alto, muito alto e extremo de raios UV.

Índice UV Baixo (0 – 2):

Significa baixo perigo dos raios UV do sol para você. As recomendações para esse nível são:

  • Usar óculos escuros em dias claros;
  • Protetor solar FPS 30 ou mais. Isso porque se queima facilmente pelo “mormaço”;
  • Cuidado com superfícies brilhantes. Ou seja, areias ou água que reflete a radiação UV, aumentando a exposição;

Índice UV Moderado (3 – 5):

Recomendamos que:

  • Se mantenha em sombras nos horários de almoço (entre 12h-14h), que é quando o sol está mais forte.
  • Caso esteja ao ar livre, proteja-se com uso de chapéus e sol com proteção UV.
  • Use protetor solar FPS 30 ou mais a cada duas horas. Inclusive,o protetor solar deve ser aplicado para dias nublado.
  • Também deve-se tomar cuidado com as superfícies brilhantes.

Índice UV Alto (6-7) e Muito Alto (8-10):

Quando o índice UV está alto ou muito alto, é preciso tomar muito cuidado. Nesses casos, as chances de expor-se ao sol sem proteção pode causar danos irreparáveis nos seus olhos.

Para evitar que isso aconteça, é necessário:

  • Não se expor ao sol no período das 10h às 16h.
  • Sempre utilizar óculos de sol com proteção UV e uso de chapéus ou bonés
  • Aplicação a cada 2 horas de protetor solar FPS 30 ou mais.

Índice UV Extremo (+11): 

Quando os raios UV atingem um nível extremo, evite ao máximo ficar exposto ao sol. E, mesmo na sombra, siga as orientações a seguir: 

  • Evite ao máximo sair ao sol no período das 10h às 16h;
  • Se estiver ao ar livre, procure sempre ficar na sombra. Também use chapéu ou bonés, e use óculos de sol com proteção 100% UV.
  • Aplicar generosamente protetor solar FPS 50 ou mais a cada 2 horas, mesmo em dias nublados, e depois de nadar ou suar.
  • Cuidado com as superfícies brilhantes, como areia, água e neve, que refletem a radiação UV e aumentam a exposição.

Doenças provocadas pelos raios UV

No Brasil, estima-se que uma a cada 4 mil pessoas possua alguma das doenças consideradas raras relacionado à retina no Brasil. Vamos citar agora as doenças de retina mais comuns. São elas: Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), retinopatia diabética, doenças de causas hereditárias.

Denegeração Macular Relacionada à Idade – DMRI

A Degeneração Macular Relacionada à Idade, conhecida pela sigla, DMRI, é uma das principais causas de perda visual a partir dos 50 anos. Inclusive, mais de três milhões de brasileiros são afetados por essa doença. A DMRI resulta de uma degeneração na mácula (área central da retina) e pode se apresentar de duas maneiras diferentes: a seca e a úmida (ou exsudativa).

A DMRI seca é a mais comum e causa pelo envelhecimento e desgastes dos tecidos. E a DMRI úmida, ela ocorre vasos anormais, inclusive com possibilidade de sangramentos ou acúmulo de líquido na mácula.

Retinopatia Diabética (RD)

 É uma doença que afeta os pequenos vasos da retina. Essa região do olho é responsável pela formação das imagens enviadas ao cérebro. Mas, quando os vasos comprometidos pela RD se rompem, o sangue e outros líquidos podem extravasar para os tecidos ao redor da retina e atingir a mácula (região central da retina).

Dessa forma, se origina o Edema Macular Diabético (EMD). Principal causa de cegueira entre a população. Os sintomas que levam ao diagnóstico dessa doenças são: dificuldade na visão noturna, redução do campo visual lateral ou central.

Dessa forma, as pessoas que apresentam essa doença podem ter dificuldade de andar na rua ou até mesmo de ler.

Doenças raras da retina e seu caráter hereditário

Provenientes de herança genética, como a retinose pigmentar, a doença de stargardt, a coroideremia, a amaurose congênita de leber são bem menos numerosas que a retinopatia diabética ou a DMRI. Além de raras, essas doenças hereditárias são complexas e seu diagnóstico depende do conhecimento das mutações genéticas que acometem um paciente.

Como prevenir e me proteger?

Em primeiro lugar, usar óculos de sol é o primeiro passo para garantir que os seus olhos não serão afetados facilmente pelos raios UV. Mas, cuidado… não compre óculos de sol barato, pois muito deles não acompanham as proteções 100% UV para os seus olhos.

Existem óculos de grau que acompanham não só a proteção UV, mas também os tratamentos de anterreflexo, antirrisco e camadas hidrorrepelentes. Alguns lugares incluem todos esses tratamentos em suas lentes sem custo a mais por isso, pesquise antes de comprar o seu.

Inclusive, sabia que existe a possibilidade de fazer seu óculos de sol com seu grau? Algumas cores e tonalidades acabam sendo as preferidas de quem escolhe esse tipo de óculos. As principais cores(fazer link) procuradas são as pretas e marrons. Além de trabalhar com essas cores, a Lenscope também faz tonalidades diferentes dessas lentes, tendo os modelos disponíveis Cinza Dark Full, Cinza Dark Gradiente, Marrom Full e Marrom Gradiente.

Quem usa óculos de sol com grau, sempre procura o máximo de comodidade visual. As lentes gradientes (que clareiam no final), é uma boa opção para quem quer usar óculos de sol em ambiente interno. Isso porque não atrapalha em seu campo de visão e facilita na troca de ambientes. Enquanto as lentes Full, por possuírem apenas uma tonalidade única, pode dificultar o campo de visão nesses ambientes internos.

Lembrando que tudo isso é uma opção pessoal. Você pode escolher qual a lente que mais agrada o seu gosto. Mas, se você usa de lente de contato, verifique se a sua lente possui proteção UV. O mais importante é ter certeza que seus olhos estão protegidos.

Quem ajuda na área de problemas de visão

Nós, da Associação Retina Brasil é filiada à Retina Internacional, organização não-governamental que tem como objetivos principais: informar e conscientizar sobre as doenças degenerativas da retina e incentivar as pesquisas que visam encontrar o tratamento para essas doenças.

Desse modo, pretendemos incentivar as pessoas a procurarem o médico oftalmologista e fazerem exame preventivo. Além de conscientizar a sociedade sobre as doenças hereditárias da retina que provocam a perda de visão e Baixa Visão.

Existem formas de tratamento desses e demais problemas de visão como miopia (dificuldade em ver de longe), hipermetropia (dificuldade em enxergar de perto), uma delas é o uso de óculos para fazer essa corrreções. A Lenscope é referência quando o assunto são lentes para óculos, além disso apresentam um serviço de venda de lentes para óculos totalmente online com preços mais acessíveis do que no mercado.

Fontes

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *