conjuntivite na gravidez

Conjuntivite na gravidez: como tratar doenças oculares sem uso de colírio na gestação

5
(1)

A conjuntivite na gravidez é uma condição normal que pode aparecer na gestante por diversos motivos, apesar disso é preciso cautela na hora de escolher um tratamento.

Isso porque o uso incorreto de colírios durante a gravidez pode causar graves problemas ao desenvolvimento do bebê, desde contrações uterinas até um aborto.

Logo a fórmula do colírio implica muito na segurança, portanto, é preciso passar por um oftalmologista antes de usar qualquer colírio da farmácia.

Portanto, se você está gestante ou conhece alguém que esteja, preste atenção neste artigo. Afinal, vamos explicar sobre os tratamentos mais seguros e indicados para a conjuntivite na gravidez.

Como tratar conjuntivite na gravidez

O tratamento da conjuntivite na gravidez tem que ser orientado por um médico oftalmologista. 

Ele pode prescrever colírios de antibióticos que não representam perigo para o bebê em desenvolvimento.

No entanto, o colírio só é eficaz contra a conjuntivite bacteriana e, na maioria dos casos, é viral. Por isso, neste caso, seu médico recomendará o tratamento adequado.

 Comece o controle da infecção em casa, com por exemplo:

  • Certifique-se de que todos lavem as mãos com frequência e não compartilhe toalhas
  • Limpe frequentemente as pálpebras com um pano limpo e úmido
  • Aplique compressas quentes ou frias nas pálpebras várias vezes ao dia para alívio da dor
  • Use colírios de lágrimas artificiais, que são seguros e disponíveis sem prescrição médica
  • Você também deve usar óculos em vez de lentes de contato durante o período de tratamento e jogar fora as lentes usadas.

Mas, se a sua infecção for causada pela herpes, você pode precisar tomar um medicamento antiviral para evitar que ela se espalhe, inclusive para o bebê.

O mesmo se aplica à infecção resultante da clamídia, que na verdade é uma bactéria, mas age como um vírus, portanto, se a sua conjuntivite for causada por alergias, o médico pode prescrever um colírio que a trate sem causar danos ao feto.

Se a conjuntivite surgir devido ao contato com produtos químicos ou um objeto, o médico irá lavar o olho e examiná-lo em busca da infecção.

 Se não houver nenhuma, a irritação deve diminuir após um ou dois dias. Mas, caso a conjuntivite persista por mais de uma semana, fale com seu médico.

Afinal, isso pode ser um sinal de um problema sério.

Risco no uso de colírios para conjuntivite na gravidez e outras condições 

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) 3% dos problemas desenvolvidos no feto, são causados pelo uso de medicamentos ou drogas durante a gravidez.

Isso acontece porque as gestantes têm uma elevação dos hormônios sexuais que alteram o metabolismo hepático dos medicamentos que ficam mais concentrados na corrente sanguínea.

O uso de colírio tem que ser visto como um medicamento que pode trazer efeitos colaterais graves, portanto é indispensável a orientação de um médico especialista.

Portanto, na gravidez o cuidado com colírios deve ser redobrado, pois, tudo o que a gestante consome, inclusive medicamentos, também vai para o feto.

Segundo a agência Food and Drugs Administration, empresa que regulamenta medicamentos nos EUA, nenhum colírio deve ser visto como sem risco para grávidas.

Menor troca de oxigênio e nutrientes

Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier, alguns remédios podem prejudicar o bebê. 

Isso acontece pela menor troca de oxigênio e nutrientes entre a mãe e o feto através da placenta.

É o que acontece pelo uso excessivo de colírio vasoconstritor que deixam os olhos branquinhos. 

Os vasos sanguíneos da placenta também se contraem e a nutrição do feto fica comprometida.

Embora esta condição talvez não seja suficiente para o bebê nascer com alguma deformidade, porém, pode surgir algum problema de saúde em algum momento da vida.

O risco para a gestante que faz uso incorreto desse tipo de colírio trás o risco de ter catarata precoce, alterações cardíacas e elevação da pressão arterial.

O especialista ressalta que a maioria das grávidas podem ficar com os olhos vermelhos porque o aumento na produção do estrogênio provoca a síndrome do olho seco.

Os sintomas da síndrome do olho seco são, por exemplo:

  • Sensação de areia nos olhos
  • Visão embaçada
  • Fotofobia

O tratamento é feito com colírios de lágrimas artificiais sem conservantes, que não prejudicam o feto, e com uma dieta rica em ômega 3.

Por isso, o médico recomenda o consumo de alimentos como por exemplo: pães e bolos com farinha de linhaça, sardinha, salmão, bacalhau e uma castanha do Pará por dia.

Contração da musculatura uterina

As grávidas portadoras de glaucoma devem passar por reavaliação com um oftalmologista caso utilizem colírios análogos de prostaglandina no controle da pressão intraocular.

Isso porque este tipo de colírio não é indicado durante a gestação, pois pode induzir a uma contração da musculatura uterina e levar à interrupção prematura da gravidez.

Já os betabloqueadores utilizados para problemas cardíacos podem alterar a frequência cardíaca do feto e da mãe.

Segundo o especialista, os medicamentos para glaucoma mais seguros para gestantes são o tartarato de brimonidina que não apresentou alterações em fetos de ratos, segundo estudos do FDA.

No entanto, a maioria das grávidas têm diminuição da pressão intraocular durante a gestação, principalmente na segunda metade da gestação por causa do aumento da produção de progesterona e relaxina.

Prevenção

Segundo o médico, qualquer colírio usado na gravidez pode trazer riscos à saúde do bebê e por isso é melhor prevenir para não contrair uma conjuntivite.

As principais recomendações para prevenção são, por exemplo:

  • Lavar as mãos com frequência
  • Evitar aglomerações
  • Não compartilhar maquiagem
  • Lavar roupas de cama como fronhas e lençóis
  • Não compartilhar computadores, para prevenir a contaminação dos olhos por bactéria ou vírus.

O uso de colírio antibiótico ou anti-inflamatório pode comprometer a imunidade do feto. Muitos adultos que têm astigmatismo e ceratocone, saliência da parte central da córnea, são pessoas alérgicas.

A exposição de bebês a antibióticos durante a gestação ou nos primeiros seis meses de vida aumenta a chance de ter quadros alérgicos por toda vida.

Conjuntivite na gravidez: quais colírios são seguros na gestação

Saber qual o colírio mais indicado e seguro na gestação, é papel do médico oftalmologista. Por isso, você nunca deve usar qualquer colírio antes de consultar um médico.

Portanto, se você está grávida e está com conjuntivite, vá imediatamente ao seu médico. Sabemos que alguns colírios não são recomendados para gestantes.

Desta forma os colírios para glaucoma como Brinzolamida, Xalatan, Xalacom, Lumigan e Travatan, também são contraindicados.

E outros como o Miotics, não mostraram ter efeitos adversos quando tomados durante a gravidez.

Portanto, devido à incerteza, o melhor conselho é não usar nenhum colírio antes de consultar um médico oftalmologista, é ele que vai te informar sobre todos os riscos.

Aliviando desconforto nos olhos durante a gravidez

A conjuntivite viral geralmente passa sozinha, entretanto é altamente contagiosa. Vá ao seu médico e faça um exame de conjuntivite e siga as recomendações.

Você pode acalmar os sintomas em casa, o que pode ajudar a acelerar a recuperação e aliviar um pouco a irritação, coceira ou dor:

  • Aplique saquinhos de chá verde limpos e úmidos nos olhos
  • Lave os olhos com soro fisiológico
  • Passe gel de aloe vera nas pálpebras
  • Aplique fatias de batata crua fresca e fria nas pálpebras

O controle da conjuntivite é fundamental na gravidez, especialmente se houver bebês, crianças pequenas e idosos em casa.

Além de controlar e prevenir a conjuntivite, isso ajudará a proteger contra gripes, resfriados e quaisquer número de vírus estomacais.

Aliviando olhos secos na gravidez

A coceira nos olhos é comum em mulheres grávidas e é causada pela inconstância dos níveis hormonais. 

Esse problema é causado por uma diminuição do hormônio que lubrifica os olhos e produz lágrimas.

Os olhos secos podem aumentar os riscos de uma infecção ocular, então você pode pedir recomendação de um colírio do seu oftalmologista ou médico obstétrico.

E existem alguns cuidados caseiros que você pode ter para controlar e diminuir a infecção:

  • Aplicar compressas quentes ou frias nos olhos
  • Aumentando a umidade do ar em sua casa com um umidificador
  • Mantenha seus olhos limpos e livres de secreção, lavando-os com água
  • Aplicar fatias de pepino nos olhos

Se essas sugestões não fornecerem nenhum alívio, ou se você estiver preocupada com a possibilidade de estar com uma infecção, visite um oftalmologista imediatamente e pergunte sobre colírios para gravidez.

Portanto, você entendeu os riscos de usar colírio na gravidez? Existem riscos graves que podem afetar o feto e causar problemas sérios.

Se você está com conjuntivite na gravidez, procure imediatamente orientação médica.

E falando em saúde dos olhos, prevenção é a melhor coisa! Nós desenvolvemos um teste online e gratuito que mostra se você tem alguma necessidade de óculos ou lentes.

Faça o teste agora, é online e gratuito!

conjuntivite na gravidez - teste de visão

Gostou do conteúdo? Mas, antes de ler mais artigos, deixe um comentário. Afinal, queremos saber sua opinião.

Fontes:

Diamond Vision

HealthLine

Healio

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *