esclerite

Esclerite: tipos, causas, sintomas e tratamentos

A esclerite é uma inflamação na esclera, a parte branca dos olhos, deixando-a bastante vermelha, e às vezes, também inchada e dolorida. 

É normalmente causada por algum desequilíbrio imunológico, sendo mais comum em pessoas que já possuem alguma doença autoimune.

Tipos de esclerite

Existem dois tipos de esclerite: a esclerite anterior e a posterior e suas variações.

Veja como é cada uma delas a seguir:  

Esclerite anterior

A esclerite anterior é a forma mais comum da doença, e tem algumas variações:

  • Esclerite difusa anterior: é caracterizada por ser benigna. É facilmente controlada com o tratamento adequado.
  • Esclerite anterior nodular: quando nódulos se formam na esclera, podendo evoluir para casos mais graves. 
  • Esclerite anterior necrosante: é bem menos frequente e causa fortes dores nos olhos. Pode ter inflamação na córnea em casos mais graves. 

A esclerite posterior

A esclerite posterior, como o próprio nome indica, afeta a parte posterior do olho. 

É uma doença que acomete mais as mulheres, e tem diagnóstico bastante difícil, pois pode ser confundida com uma simples dor no olho ou com o descolamento de retina.

Mas também é uma forma mais grave da doença. Por isso, se não tratada, pode levar à perda de visão ou à cegueira.

Sintomas

A Esclerite é contagiosa?

Por ser normalmente uma inflamação, muitas vezes causada pelo sistema imunológico, a esclerite não é contagiosa.

Mas há raras exceções em que pode ser infecciosa, e afetar pessoas que passaram por cirurgias ou traumas oculares.

Principais diferenças entre esclerite e episclerite

A esclerite se localiza na esclera, no branco dos olhos. Já a episclerite se localiza na episclera, que é o tecido do globo ocular.

Além disso, a esclerite é mais grave, podendo ser uma inflamação mais severa, com dores. E, em casos mais graves, levando à perda da visão.

A episclerite é normalmente mais amena, apenas um dano no tecido. No entanto, os sintomas das duas doenças são parecidos.

Como é o diagnóstico

Para chegar ao diagnóstico da doença, o médico pode pedir exames de sangue, ultrassom para verificar alterações na esclera ou ainda, em casos mais graves, pode ser necessário uma biópsia.

Isso porque, é uma doença que pode ser confusa e difícil de diagnosticar. Então, se faz necessário um procedimento mais específico para eliminar possibilidades de descolamento de retina, blefarite, entre outras doenças. 

Causas

A esclerite não tem causa oficialmente definida. Entretanto, foi observado que na maioria das pessoas que possui a doença,  a causa foi uma resposta do sistema imunológico, um desequilíbrio.

Isso acontece porque as células T, responsáveis por proteger o sistema imune de doenças, atacam o próprio organismo, no caso, os olhos e causam a esclerite.

Entretanto, essa doença também pode ser causada por:

  • Lúpus
  • Artrite
  • Infecção nos olhos
  • Síndrome de Sjogren
  • Doença inflamatória intestinal
  • Granulomatose

Fatores de risco

A esclerite é mais comum em mulheres, mas não existe uma idade específica, pois pode ocorrer por toda a vida. Já os homens têm mais chance de serem afetados por essa condição, a partir de possíveis infecções.

Além disso, pessoas que possuem doenças autoimune (como artrite reumatóide, Lúpus, Doença inflamatória intestinal, Granulomatose, e etc.) têm mais chance de adquirir. Assim como pessoas que já passaram por cirurgias ou traumas oculares. 

Complicações

A esclerite pode causar algumas complicações, tais como:

Tratamento

O tratamento para a esclerite constitui em tratar a inflamação que ela causa aos olhos.

Portanto, podem ser utilizados:

  • Antiinflamatórios
  • Corticóide
  • Glicocorticóide oral
  • Imunossupressores
  • Antibióticos

Além disso, se a condição for resultado de uma doença autoimune, controlar a doença também auxilia no tratamento.

Em casos mais graves,  pode ser necessário cirurgia para reparar a esclera.

Esclerite tem cura?

Sim, a esclerite tem cura quando diagnosticada no começo ou em boas condições, e quando um tratamento adequado é feito. Por isso, não deixe de visitar o médico assim que identificar o primeiro sintoma.

Para ficar atento

Quando se trata de esclerite, devemos ficar atentos à alguns pontos:

  • Essa condição pode ser grave e provocar a perda da visão;
  • Os sintomas vão dos mais leves aos mais graves, como vermelhidão intensa e dor nos olhos;
  • A maioria das pessoas que adquirem esclerite possuem doenças autoimunes, e por isso, o tratamento é feito com imunossupressores
  • Cirurgias podem ser indicadas para casos mais graves da doença.

E você, tem ou conhece alguém que tenha esclerite? Conte sua experiência pra gente nos comentários!

Fontes

Healthline

WebMD

EyeWiki

American Academy of Ophtalmology

Medicine net

Merck Manual 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Nós utilizamos a tecnologia a nosso favor e oferecemos uma experiência inovadora para você comprar as lentes para seus óculos sem sair de casa! E o melhor de tudo? Podendo ter as melhores lentes do mercado sem gastar uma fortuna para isso.

Pin It on Pinterest