Estrabismo: causa, tipos, tratamentos e exercícios para os olhos

estrabismo
4.2
(50)

O estrabismo, conhecido também por “olho torto”, é quando os olhos apontam para direções diferentes,  não sendo alinhados.   

É uma condição comum nas crianças, mas pode afetar jovens e adultos também. 

Existem vários tipos de estrabismo, dependendo da direção para qual o olho aponta. Saiba mais a seguir. 

O que é estrabismo

O estrabismo se caracteriza pelo desalinhamento dos olhos. O olho estrábico pode estar direcionado para dentro, em direção ao nariz, ou para fora, em direção às orelhas.

Além disso, o desvio pode ser para cima ou para baixo também e pode afetar um ou os dois olhos.

Inclusive, em alguns casos, pode ser constante e, às vezes, a condição pode ir e vir. 

Isso porque, o estresse e algumas doenças podem resultar em desalinhamento temporário dos olhos. 

O comportamento do olho estrábico é diferente do olho sem o estrabismo. Assim, eles nunca trabalham em conjunto na formação das imagens. 

Sintomas

Como o estrabismo pode afetar tanto crianças quanto adultos, listamos os principais sintomas divididos pela faixa etária. Confira:

Sintomas do estrabismo nas crianças

Para as crianças, o grupo mais afetado pelo estrabismo, os sintomas mais comuns são:

  • Virar a cabeça com frequência para conseguir enxergar melhor
  • Manter um dos olhos fechado e o outro aberto para conseguir enxergar
  • Desalinhamento dos olhos que vai e vem
  • Dor de cabeça
  • Ambliopia
  • Torcicolo

Sintomas do estrabismo em adultos

Os sintomas mais comuns do estrabismo em adultos são:

  • Fraqueza dentro ou ao redor dos olhos, com a sensação de que algo está puxando seus olhos;
  • Alterações na visão, como visão dupla (ver dois de uma imagem);
  • Visão embaçada;
  • Problemas de leitura ou perda de percepção de profundidade;
  • Inclinar ou virar a cabeça constantemente para ver uma imagem com clareza.

Além destes sintomas, nos adultos pode acontecer também o desalinhamento dos olhos, traço característico dessa condição. 

Quando os sintomas de estrabismo aparecem?

A partir dos 3 meses, os olhos dos bebês já passam a focalizar objetos e os olhos já devem estar bem alinhados. 

Já em crianças com 6 meses, os olhos já estão melhor desenvolvidos e elas passam a focalizar objetos que estão perto ou distantes. E, nessa idade, os olhos também já estão bem alinhados. 

Agora, quando a criança desenvolve o estrabismo, logo quando pequena já é possível notar os principais sintomas, já que ela vai ter dificuldade de enxergar objetos ou mesmo enxergar objetos em duplicidade.

Não há uma idade certa para o aparecimento do problema, mas o público com maior incidência da condição são crianças a partir de 3 anos de idade.

Nesta fase, os sintomas já podem ser percebidos, além do desalinhamento dos olhos.

Tipos de estrabismo

O tipo do estrabismo vai depender da direção para onde o olho se desvia e segundo o Conselho Brasileiro de Estrabismo (CBE), existem os seguintes tipos de estrabismo

estrabismo

  • Estrabismo convergente (esotropia) – desvio para dentro. Ou seja, para o nariz;
  • Estrabismo divergente (exotropia) – desvio para fora. Ou seja, para a orelha;
  • Estrabismo vertical (hipertropia) – desvio para cima (para a testa) ou para baixo (em direção as bochechas);
  • Estrabismo alternante – quando o desvio do olho é alternado, ora o olho esquerdo, ora o olho direito sofre o desvio
  • Estrabismo Intermitente – variação do alinhamento e desvio do olho (ora com desvio, ora sem o desvio). Não se manifesta constantemente e é mais comum para os desvios divergentes.

Causas

As causas para o estrabismo podem variar muito. Isso porque alguns podem já nascer com a condição e outros podem adquiri-la.

Geralmente, é causado por fraqueza muscular ou por um erro de refração não tratado (hipermetropia, miopia ou astigmatismo). 

Já as causas raras da condição são traumatismo craniano, paralisia cerebral ou um acidente vascular cerebral (AVC). 

Além disso, Síndrome de Down, câncer no olho, infecções como sarampo ou outra doença que afete o cérebro ou os músculos do olho pode causar também estrabismo. 

Fatores de risco

Alguns fatores de risco podem contribuir para uma maior chance de desenvolvimento do estrabismo. São eles:

  • Histórico familiar: bebês com pais ou irmãos estrábicos têm mais chances de desenvolverem a condição;
  • Síndromes ou doenças: a Síndrome de Down é um fator de risco para a manifestação do estrabismo, além da paralisia cerebral, traumatismo craniano ou um acidente vascular cerebral.
  • Erro de refração: pessoas ou bebês que tenham hipermetropia de grau elevado, e que não corrijam o erro de refração da forma adequada, podem desenvolver estrabismo.

Como o estrabismo afeta a visão

Quando a visão é normal, ou seja, o estrabismo não afeta os olhos, os músculos oculares trabalham em conjunto para focalizar imagens e nosso cérebro processa ela em uma única imagem tridimensional.

Assim, conseguimos ver a imagem e qual a distância que ela está (percepção de perto ou longe).

Agora, quando o olho está desalinhado, os músculos não trabalham da forma adequada e imagens diferentes são enviadas ao cérebro. 

Em uma criança, o cérebro aprende a ignorar a imagem do olho com a deficiência (estrabismo), podendo causar, posteriormente, a ambliopia (perda da visão do olho com estrabismo).

Já para os adultos, o processo é diferente, já que não é comum a perda da visão do olho estrábico, mas sim manifestar a visão dupla.

Assim, os adultos veem duas imagens, já que o cérebro já está acostumado a receber imagens de ambos os olhos. 

Quando ir ao médico?

Vá ao médico especialista assim que apresentar qualquer sintoma que esteja afetando a sua capacidade de enxergar. 

No caso das crianças, nem sempre elas dizem qual o problema que pode estar incomodando. Portanto, ao notar qualquer sinal diferente e que esteja relacionado aos sintomas comuns do estrabismo (visão dupla, desalinhamento dos olhos etc), vá ao médico imediatamente. 

Como é o diagnóstico

O diagnóstico é feito através de exame de vista realizado por um oftalmologista que avalia, principalmente, a capacidade dos olhos em focalizar objetos, avaliando sua movimentação.

Alguns dos exames realizados para detectar o estrabismo são:

  • Teste de alinhamento e foco: analisa a capacidade dos olhos em trabalharem juntos no momento de movimentação deles, além da capacidade de focalizar objetos
  • Exame da saúde ocular: avalia estruturas internas e externas do olho
  • Acuidade visual: se trata de um teste que avalia o quanto a visão está afetada
  • Refração: teste com uma série de lentes para avaliar se você tem algum erro de refração e qual o grau dele.

Além de tais exames, o médico irá avaliar o histórico de saúde do paciente e cruzar todas as informações, analisando e diagnosticando o estrabismo. 

Tratamentos

Existem várias maneiras de tratar a condição em adultos e em crianças.

Cirurgia de correção

Alguns casos de estrabismo só são corrigidos com cirurgia. Aliás, a cirurgia de correção também é avaliada para curar o estrabismo infantil.

Geralmente, a cirurgia é indicada pelo médico especialista quando os demais tratamentos sugeridos não têm surtido efeito.

Basicamente, a cirurgia consiste em fazer um pequeno corte na conjuntiva que envolve o olho que tem estrabismo para reposicionar os músculos afetados e que controlam os movimentos oculares.

Mas, fica tranquilo, porque o procedimento é considerado avançado e seguro.

E atenção: é preciso conversar sempre com seu médico para a avaliação do tamanho do desvio, já que isso influencia se os músculos de um ou dos dois olhos devem ser operados.

Outros tipos de tratamento

Veja a seguir outros tipos de tratamento para o estrabismo.

Tampão ocular

O tampão ocular é indicado para o estrabismo infantil. A criança deve usá-lo durante algumas horas do dia e, em alguns casos, ao longo do dia todo. 

Basicamente, o tampão é colocado no olho sem o desvio. Assim, a criança estimula a visão do olho que tem o estrabismo. 

Óculos de grau

Em alguns casos, o uso apenas do óculos de grau é suficiente para corrigir o desvio.

Aqui na Lenscope, por exemplo, nós contamos com opções de lentes para óculos que podem ser usadas no tratamento do estrabismo.

Nossas lentes corrigem a miopia (dificuldade para ver de longe), hipermetropia (dificuldade para ver de perto) e astigmatismo (dificuldade para ver de perto e de longe). 

Você ver o preço de nossas lentes para o seu grau aqui. 

Toxina Botulínica

Em alguns casos, a injeção de toxina botulínica (Botox) ajuda no tratamento do estrabismo.

Isso porque essa toxina, produzida pela bactéria (Bacilo Clostridium Botulinum), consegue bloquear os impulsos nervosos que chegam até o músculo afetado.

Quando é aplicada diretamente no músculo extrínseco ocular comprometido, ele fica paralisado e, consequentemente, acontece o alinhamento do olho.

No entanto, adiantamos que a recomendação desse tratamento é apenas para os adultos, após a devida avaliação médica.

Lentes de Prisma

Um prisma é uma lente transparente em forma de cunha. Essa lente refrata a luz e pode ser acoplada às lentes do óculos de grau.

Geralmente, é indicado para corrigir a visão dupla, o principal sintoma da condição em adultos.

Exercícios que ajudam no estrabismo

É comum, ao longo do tratamento, ser prescrito a realização de exercícios oculares para fortalecimento dos músculos dos olhos. 

Há um tipo bem comum de exercícios para os olhos indicado nessa condição que pode ser feito em casa. Veja o passo a passo que preparamos:

  1. Segure um lápis (pode ser caneta também) com os braços estendidos a meia distância dos olhos;
  2. Olhe para o lápis enquanto aproxima ele em direção ao nariz, procurando manter uma única imagem dele;
  3. Continue aproximando o objeto até o nariz, até que você não possa mais enxergar ele;
  4. Segure o lápis em uma região que deixe seus olhos formarem uma única imagem dele;
  5. Repita o processo caso não conseguir formar apenas uma imagem do lápis

Esse exercício, além de prático e rápido, é chamado de “flexão de braço em casa”. 

Outros exercícios que podem ajudar são: cartas de barril e corda brock.

Mas, é preciso cuidado e orientação médica para realizar os exercícios, isso porque caso praticá-los de forma errada, poderá prejudicar a saúde dos seus olhos.

Prevenção

O estrabismo não pode ser evitado, no entanto, as crianças devem fazer acompanhamento médico com oftalmologista a partir dos 6 meses de idade e depois retornar a partir dos 3 anos até os 5 anos de idade.

Já para os adultos, a ida ao oftalmologista deve ser anual, com realização de exames de vista.

Estrabismo infantil

O estrabismo infantil é um distúrbio visual que causa o desalinhamento dos olhos da criança. Segundo dados do IBGE, o desvio atinge de 2 a 4% das crianças brasileiras já na primeira infância, ou seja, até os 6 anos de idade.

O estrabismo infantil pode ser classificado em 5 tipos diferentes, de acordo com a direção do desvio. São eles:

  • Estrabismo convergente (esotropia);
  • Estrabismo divergente (exotropia);
  • Estrabismo vertical (hipertropia);
  • Estrabismo alternante;
  • Estrabismo intermitente

Um dos maiores perigos dessa condição em crianças é que pode causar ambliopia, popularmente conhecida como “olho preguiçoso”. 

Esse problema ocorre quando o olho saudável tenta “compensar” a visão do olho estrábico assumindo sua função. Isso faz com que o olho estrábico pare de ser usado e comece a perder a visão progressivamente.

No entanto, para tratar o problema, você precisa, antes de tudo, consultar o oftalmologista, já que quanto mais cedo o estrabismo infantil for diagnosticado, mais fácil será o tratamento! 

Os tratamentos disponíveis incluem:

  • Tampão
  • Óculos
  • Cirurgia
  • Toxina
  • Lente de prisma

Para conhecer cada um dos tratamentos, veja nosso conteúdo completo sobre estrabismo infantil.

Estrabismo tem cura?

Quanto mais cedo for detectado, maiores as chances de cura do estrabismo. Mas, caso o distúrbio permaneça, existem tratamentos eficientes que podem ser utilizados para a correção do problema.

Importante lembrar sempre:

Trouxemos aqui alguns pontos importantes sobre estrabismo pra você não esquecer:

  • O exame de vista pode detectar a maioria dos tipos da condição.
  • O estrabismo afeta mais as crianças, cerca de 3% delas sofrem com algum tipo do problema;
  • Quando não tratado da forma correta, a criança pode desenvolver ambliopia (perda da visão);
  • O tratamento vai depender da causa. Apesar disso, em alguns casos é preciso realizar cirurgia para corrigir os músculos dos olhos afetados pela condição;
  • A maioria dos casos se dá por elevado grau de hipermetropia (não tratado) ou por fraqueza muscular. No entanto, traumatismo craniano, AVC ou paralisia cerebral também podem resultar no estrabismo.

Fontes:

All About Vision

American Optometric Association 

American Academy of Ophthalmology 

Cleveland Clinic 

Harvard Health Publishing

healthline

Medical News Today 

MSD Manual 

NHS

WebMD

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 50

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

A Lenscope descomplica a correção visual, oferecendo lentes para óculos com todos os tratamentos entregues em casa a uma fração do custo. Desenvolvemos tecnologias que possibilitam uma jornada 100% digital, precisa e acessível, permitindo oferecer produtos superiores até 70% mais baratos do que alternativas encontradas em ópticas tradicionais. Fomos incubados pela Eretz.bio, incubadora do Hospital Albert Einstein, acelerados pela Samsung, através do programa Creative Startups e recebemos apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), no desenvolvimento tecnológico. Fazemos parte do Cubo Itaú e da Supera, parque tecnológico da USP de Ribeirão Preto.

Marcações:

13 comentários em “Estrabismo: causa, tipos, tratamentos e exercícios para os olhos”

  1. Eu tenho estrabismo e me sinto mal demais. Gostaria muito de poder corrigir porque tem pessoas que me zoam e eu fico muito mal com essa situação. É difícil e quando procurei um oftalmologista ela disse que cirurgia não iria resolver porque iria voltar a ficar torto meu olho. Isso é verdade? Estrabismo em adulto não tem jeito?

    1. Oi, Marley. Sentimos muito que você passe por situações que abalem a sua autoestima. Esperamos que esteja bem 🙂

      Geralmente o estrabismo tem cura, mesmo em adultos. Mas, o ideal é que você converse com o seu médico de confiança sobre os tratamentos adequados para o seu caso e alinhem expectativas quanto aos resultados. Ele é o profissional qualificado para esclarecer as suas dúvidas sobre os procedimentos e te orientar o melhor possível.

      Sempre que precisar, estamos aqui 🙂

        1. Oi, Edcarlos. Tudo bem?
          O médico oftalmologista de confiança é o profissional capacitado para indicar os melhores exercícios para cada caso. Além disso, esses exercícios devem ser realizados sob orientação médica. Por isso, o ideal é que você converse com o seu oftalmo de confiança sobre os exercícios mais adequados para você.

          Sempre que precisar, estamos aqui 🙂

  2. Olá, o estrabismo em bebês sempre estará associado a problemas de visão? Uma criança pode ter estrabismo e conseguir enxergar bem? Em caso positivo, qual seria o melhor tratamento? Tampão ou óculos?
    Obrigada.

    1. Olá, Leila. Tudo bem? O estrabismo está associado a problemas visuais. Dessa forma, crianças com estrabismo apresentam dificuldade para enxergar objetos ou até mesmo os enxergam em duplicidade, pois, quando o olho está desalinhado, os músculos não trabalham da forma adequada e imagens diferentes são enviadas ao cérebro.
      Quanto aos tratamentos, ambos são recomendados, seja utilizando tampão ou óculos. O ideal é que leve a criança para consultar com oftalmologista de confiança.Ele é o profissional capacitado para prescrever o tratamento mais indicado, além de orientar com mais precisão.Esperamos ter ajudado. 🙂

  3. Tenho 15 anos e até há pouco não tinha estrabismo. Mas uns 3 meses atrás troquei de óculos e nos primeiros dias achei ele estranho, via as imagens meio distorcidas e era difícil focar. Eventualmente me acostumei, mas agora muitas pessoas me olham e dizem que eu sou estrábica, sendo que isso nunca tinha acontecido antes. Pode ser que o óculos tenha entortado meu olho?

    1. Olá, Leticia. Tudo bem? O uso do óculos não causa estrabismo. O estrabismo geralmente, é causado por fraqueza muscular ou por um erro de refração não tratado (hipermetropia, miopia ou astigmatismo). O ideal é que procure por um oftalmologista da sua confiança e esclareça sua dúvidas, ele é o profissional adequado para orientá-la com precisão. Esperamos ter ajudado. 🙂

  4. Olá, tenho 12 anos e sofro de estrabismo intermitente. Minha mãe me levou ao oftalmologista e a mesma falou que era um caso inicial mas não passou nada para tratar. Eu deveria me preocupar com isso ?

    1. Olá, Gabriele. Tudo bem? O ideal é que siga as orientações médicas, mas se você se sente insegura, pode procurar pela opinião de outros especialistas. Esperamos ter ajudado. 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *