glaucoma

Glaucoma: o que é, tipos, sintomas e tratamentos

Lesões oculares, miopia, enxaqueca e até diabetes são algumas das causas do glaucoma.

O glaucoma é uma condição que causa danos ao nervo óptico do olho, e, por ser uma condição progressiva, com o tempo pode piorar e ocasionar a perda da visão. Isso está ligado ao acúmulo de pressão dentro do olho, e pode tanto ser um fator hereditário quanto aparecer com o tempo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o glaucoma é responsável por aproximadamente 5,2 milhões de cegos no mundo – o que corresponde a 15% da cegueira mundial.

Glaucoma é coisa séria, e precisa ser identificado o mais cedo possível. Por isso, neste artigo, vamos falar sobre os tipos dessa doença, seus principais sintomas e tratamento.

Continue com a gente, pois vamos esclarecer suas principais dúvidas sobre a doença!

O que é o glaucoma?

Glaucoma é causado por uma lesão no nervo óptico, responsável por transmitir tudo o que enxergamos para o nosso cérebro.

A maioria das vezes, o glaucoma está associado a um aumento de pressão intra ocular (alguns lugares utilizam a expressão PIO, devido a abreviação de pressão intra ocular).

 Essa pressão acontece quando o líquido se acumula na parte frontal do olho, e esse líquido, esse fluido, aumenta a pressão olho, danificando o nervo óptico.

Veja só como isso acontece na ilustração que preparamos para você:

glaucoma

Essa é uma doença progressiva, ou seja, ela avança com o tempo. Se não for controlado ou tratado corretamente, pode causaro início da perda de visão periférica e, consequentemente, leva à cegueira.

Existem diferentes tipos de glaucoma, e vamos exemplificar cada um deles a seguir!

Tipos de glaucoma

  • Glaucoma de ângulo fechado (agudo)
  • Glaucoma de ângulo aberto (crônico)
  • Glaucoma congênito
  • Glaucoma secundário

Veja que na definição dos tipos de glaucoma é utilizada a palavra “ângulo”. Esse termo é usado porque se refere ao ângulo da drenagem dentro do olho, que controla o fluxo de saída do fluido aquoso que é produzido a todo momento dentro dos nossos olhos.

Se fluxo aquoso pode acessar o ângulo de drenagem, é conhecido por glaucoma aberto. Agora, se o ângulo de drenagem estiver bloqueado e o aquoso não poder ser alcançado, é chamado de glaucoma de ângulo estreito.

Glaucoma de ângulo fechado (agudo)

Também possui o nome de “glaucoma estreito” ou crônico. Geralmente, seu aparecimento é genético, ou advindo de um trauma ocular.

Esse tipo de problema acontece quando a saída do líquido aquoso é bloqueada, e o espaço de drenagem entre a íris e a córnea fica muito estreito. Isso causa um acúmulo de pressão no olho.

Seus sintomas mais comuns são: dores no olhos, dor de cabeça, náusea, vômito, enxergar halos (círculos) ao redor de luzes, a até a perda de visão.

Esses sinais são emergenciais, pois, a médio prazo, pode causar a perda progressiva da visão.

Glaucoma de ângulo aberto (crônico)

É o tipo mais comum desse problema de visão. Ele acontece gradualmente, pois o fluido aquoso é drenado lentamente e a pressão interna dos olhos aumentam (como se fosse um dreno entupido).

Dessa forma, a pressão do olho se acumula, causando um dano definitivo no nervo óptico.

Algumas pessoas podem ter nervos ópticos sensíveis à pressão ocular normal. Isso significa que o risco de contrair glaucoma é maior que o normal (glaucoma de pressão normal). O que normalmente causa esse tipo de doença é o envelhecimento natural do canal de drenagem.

Mas atenção: os sintomas do glaucoma de ângulo aberto são silenciosos. Com o aumento da pressão intraocular, a visão periférica pode ser prejudicada e você terá apenas a visão central.

Glaucoma congênito

Como o próprio nome diz, se deve por problemas genéticos em que a criança já nasce com a doença. Existem apenas casos raros sobre esse tipo de glaucoma.

É  difícil detectar esse problema nas crianças, principalmente bebês, uma vez que elas não conseguem expressar suas dificuldades e sentimentos. Então, ao notar um olho branco, nebuloso, alargado ou saliente no seu filho, é necessário procurar um oftalmologista o mais rápido possível.

Glaucoma secundário

Este tipo surge devido a outras doenças que refletem na drenagem do líquido dos nossos olhos, como por exemplo: leucemia, diabetes, catarata e lesões oculares.

Pode ser causado também devido ao uso excessivo de corticosteroides (corticoide), que faz parte da composição de alguns medicamentos.

Sintomas de glaucoma

No geral, o glaucoma tem por característica ser uma doença silenciosa, porque, na maioria das vezes, em todos os tipos, normalmente não causa dor, mas causa a perda progressiva da visão.

Devido a isso, essa doença vai progredindo sem que seja detectado, até que o nervo óptico tenha sido danificado de maneira irreversível (cegueira).

Entretanto, o glaucoma agudo de ângulo fechado é o único no qual os sintomas aparecem de repente, podendo ser:

  • Visão embaçada
  • Halos ao redor de luz
  • Dor nos olhos intensa
  • Náusea
  • Vômito

No glaucoma congênito, alguns sintomas também podem ser notados, como:

  • Embranquecimento dos olhos da criança
  • Sensibilidade à luz
  • Olhos lacrimejantes.
glaucoma
Efeito do glaucoma em nossa visão com o passar do tempo

Glaucoma tem cura?

Infelizmente, não tem cura.

Mas existe tratamento que consistem em controlar a pressão dos olhos (pressão intraocular). Em casos de glaucoma aberto (crônico), quanto mais cedo o diagnóstico, mais fácil o controle da doença e, assim, evita-se a perda da visão.

Por isso, as visitas periódicas ao oftalmologista são tão importantes. Ele é o único profissional capaz de detectar eventuais problemas, dar um diagnóstico correto e iniciar o tratamento o quanto antes pois, se o seu caso for de cirurgia, quanto mais cedo for realizado, mais difícil é da pessoa perder a visão.

Tratamentos

O tratamento para o glaucoma vai depender da gravidade do problema.

Normalmente, entre os tratamentos estão inclusos cirurgia, lasers ou o uso de medicamentos.

Os tratamentos aplicados a cada tipo de glaucoma são:

  • Glaucoma aberto (crônico): Normalmente é indicado uso de colírios sob prescrição médica, ou laser para facilitar a circulação do líquido aquoso nos olhos.
  • Glaucoma de ângulo fechado (agudo): Como ele ocorre de uma hora para outra, o uso imediato de colírios, pílulas ou medicamentos aplicados nas veias são utilizados para baixar a pressão dos olhos e, dependendo da gravidade, é necessário fazer um procedimento cirúrgico.
  • Glaucoma congênito: O tratamento indicado é a cirurgia.
  • Glaucoma secundário: Colírio para diminuir a pressão dos olhos. Para casos mais avançados, a cirurgia é recomendada.

Quem pode ter glaucoma?

A doença afeta principalmente adultos com mais de 40 anos. Entretanto, adultos jovens, crianças e até mesmo bebês podem ter também.

Por isso, listamos aqui para você os principais fatores de risco a serem levados em consideração:

  • Ter mais de 40 anos
  • Ser descendente afro-americanos, irlandeses, russos, japoneses
  • Ter histórico familiar de glaucoma
  • Ter diabetes
  • Tomar medicamentos com corticoides
  • Ter algum trauma ocular.

Glaucoma pode cegar?

Como a doença não ocasiona dores, as pessoas acabam não dando a devida importância para o tratamento correto, e muitas vezes negligenciam, por exemplo, o uso de colírios para controlar a pressão ocular e ajudar a prevenir danos permanentes na visão. E essa negligência faz com que o glaucoma seja uma das principais razões para a cegueira.

Se você faz uso de medicamentos que causam algum desconforto, nunca pare de tomar antes de passar pelo oftalmologista, pois existem outras alternativas que somente ele pode te dar.

Quais são os exames de glaucoma?

Os exames mais comuns para detectar essa doença são:

  • Tonometria  exame para ver a pressão dos olhos)
  • Oftalmoscopia – exame para avaliar seu nervo óptico
  • Perimetria – para ver o seu campo visual
  • Gonioscopia – para verificação do tipo de glaucoma
  • Paquimetria – para verificação da espessura da sua córnea

Como prevenir o surgimento de glaucoma?

A melhor maneira é fazer visita frequentes ao oftalmologista, e assim prevenir com um diagnóstico precoce, detectando o estágio da doença e o tipo dela.

Caso já tenha sido detectado o glaucoma, o uso correto dos medicamentos é a melhor solução, pois é possível evitar o avanço da perda de visão.

Considerações finais

Portanto, lembre-se sempre: o glaucoma é uma doença perigosa, silenciosa, crônica e progressiva. Detectá-lo o mais rápido possível é importante para evitar a perda da visão, por isso, nunca deixe de ir ao oftalmologista. Nunca deixe de lado o cuidado com os seus olhos! Muitas vezes, seguir a recomendação médica faz toda diferença.

Você tem ou conhece alguém que tenha glaucoma? Conte para a gente nos comentários!

glaucoma

Glaucoma: o que é, tipos, sintomas e tratamentos
Média 5 de 1 votos



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Nós utilizamos a tecnologia a nosso favor e oferecemos uma experiência inovadora para você comprar as lentes para seus óculos sem sair de casa! E o melhor de tudo? Podendo ter as melhores lentes do mercado sem gastar uma fortuna para isso.

Pin It on Pinterest