luz azul do celular

Luz azul do celular: faz mal e pode causar insônia

0
(0)

A luz azul do celular pode ser bastante perigosa para a saúde dos nossos olhos. Essa é a luz emitida pelas telas digitais que pode nos causar diversos problemas, como dificuldade para dormir e insônia. 

O que é a luz azul do celular e por que ela faz mal?

Em boa parte do dia, e da noite, estamos diante de telas, trabalhando ou estudando em frente ao computador, celular assistindo a um filme pelo tablet, jogando por um monitor. 

O que a gente nem se dá conta, é que essas telas emitem a chamada luz azul

Ela é uma cor que pertence ao espectro de luz que pode ser visto pelo ser humano.

Cerca de um terço das luzes de alta energia que enxergamos é considerado luz azul. A maior fonte natural que nós temos desse tipo de luz é a luminosidade solar.

Todavia, mesmo após o pôr do sol, ainda estamos cercados de luz azul, por conta das fontes consideradas artificiais, como as telas dos nossos equipamentos eletrônicos. 

Nem todas as luzes do espectro, visto pelo olho humano, possuem as mesmas características. 

A luz azul tem um comprimento de onda baixo, que varia entre 380 a 500 nanômetros, e possui uma energia mais alta. 

Uma curiosidade muito importante que nos ajuda a discernir se ela é realmente ruim, é entender que há dois tipos dela. A luz azul turquesa e a violeta. 

Entenda a diferença:

Luz azul turquesa – a luz azul benéfica

A luz azul turquesa, proveniente da luz solar – uma fonte natural – é altamente positiva para os seres humanos, já que ela ajuda na produção de vitamina D e até melhora o humor. 

Outra qualidade fundamental, é que ela nos deixa mais atentos durante o dia, justamente quando precisamos nos manter mais ativos, já que trabalhamos, estudamos ou realizamos tarefas do cotidiano.

Resumindo, a luz azul turquesa, iridiada durante o dia, é boa! 

Luz azul violeta – a luz azul maléfica

Ela é ruim para os seres humanos, principalmente à noite. Isso acontece porque a luz azul violeta, presente nas fontes artificiais, como smartphones, TVs e lâmpadas de LED, induzem o nosso cérebro a pensar que ainda é dia.

Dessa forma, atrapalham o nosso ciclo circadiano, comumente conhecido como relógio biológico. O resultado disso é a inibição da produção da melatonina – hormônio responsável por avisar ao nosso corpo a hora de dormir.

Uma vez que esse hormônio tem sua atuação prejudicada, fica muito difícil pegarmos no sono. Por isso que a luz azul violeta, vinda das fontes artificiais, é perigosa para a nossa saúde. 

O brilho artificial das telas não causa apenas insônia. Há outros problemas sérios ligados a ela.

“A luz azul parece danificar as células da retina. Ainda não está claro a quantidade de luz azul e por quanto tempo é necessário para danificar essas células de visão – sabemos que o dano é irreversível”, confirma o Dr. Mark Fromer, oftalmologista do Lenox Hill Hospital Northwell Health, de Nova York.

Quando há exposição excessiva à luz azul, as células retinianas são bastante prejudicas, o que aumenta os riscos de degeneração macular. Mas não para por aí, catarata e a síndrome do olho seco também podem surgir. 

Luz azul do celular e demais dispositivos e a síndrome dos olhos secos

A claridade dos celulares e dos dispositivos eletrônicos em geral promove outra situação indesejada: a diminuição da quantidade de piscadas. 

“Estudos sobre a doença do olho seco descobriram que, com o aumento do uso de smartphones, ipads e laptops, houve um crescimento no desenvolvimento de olho seco devido à diminuição da taxa de piscar”, disse Angela Bevels, fundadora da Elite Dry Eye Spa em Tucson, Arizona. 

Piscar os olhos na frequência adequada é vital para que a córnea seja lubrificada pelas nossas lágrimas. 

Quando ficamos com os olhos fixos nas telas e abertos por muito tempo, as lágrimas evaporam. Sem lágrimas, a lubrificação ocular é diminuída e passamos a sentir nossos olhos secos. 

Ativar o filtro de luz azul do celular é uma boa ideia?

Depois de entender como ela pode afetar nossa qualidade de vida, rapidamente nos perguntamos: “como é possível proteger nossa saúde?”

A princípio, a solução mais aparente é parar de usar o computador ou celular. Mas, como é possível desvincular nossas tarefas do uso desses dispositivos, se é neles que quase todas as nossas atividades são feitas? 

Sabendo da importância que notebooks, tablets ou smarphones possuem nas nossas vidas, mas conhecendo os problemas que a luz azul pode causar, os fabricantes desses aparelhos começaram a inserir funcionalidades, que se propõem a abrandar as consequências da claridade artificial.

Muitos equipamentos estão vindo com o filtro de luz azul, uma função que promete diminuir os efeitos perversos causados pelo brilho das telas. A função muda a tonalidade da tela, que passa a ficar amarelada. 

Ativar esse modo por ser uma boa ideia. Mas, antes de procurá-lo no seu celular, leia atentamente o trecho a seguir. 

É preciso esclarecer um detalhe necessário. 

Mesmo com pesquisas, em uma quantidade considerada majoritária, apontando que o filtro de luz azul é interessante, estudos recentes mostraram o contrário.

O outro lado da história:

Uma pesquisa da Universidade de Manchester evidenciou que a opção de filtro de luz azul, ou modo noturno em alguns aparelhos, não é eficaz e pode ser ainda pior. 

Essa afirmação é baseada no fato de que a luminosidade da tela, não importando a sua tonalidade, continua ludibriando o cérebro, fazendo-o pensar que o dia não acabou. 

Os pesquisadores elucidaram que, quando o assunto é sono, a tonalidade amarelada do filtro é pior que a luz azul. 

A cor natural do dia é mais parecida com o tom amarelado, enquanto a azul é compatível com a coloração da noite. Dessa forma, é possível que o nosso cérebro associe o amarelo do filtro à cor do dia, atrapalhando o nosso relógio biológico e, consequentemente, nosso sono. 

Os responsáveis por essa nova via alertaram que o estudo é preliminar, já que os experimentos foram feitos apenas em ratos. Dessa forma, ainda faltam mais evidências para comprovar que os efeitos vistos nos roedores são os mesmos nos seres humanos. 

O que fazer para proteger os olhos dos efeitos da luz azul do celular

De uma coisa nós sabemos, com ou sem filtro, algumas outras estratégias funcionam muito bem:

  • Não deixe o brilho da tela muito forte
  • Não leve seus dispositivos para a cama
  • Deixe de usar seus aparelhos horas antes de dormir

Uma outra forma de decidir sobre o uso do filtro, é conversar com o seu médico oftalmologista e assimilar sua sugestão. 

Caso você entenda que é melhor usar a função, confira o passo a passo para utilizá-la:

No Android:

1 – Vá ao menu e selecione “Configurações”

2 – Depois, escolha a opção “Visor”

3 – Localize a opção “Filtro luz azul”

4 – Toque na opção. 

5 – Por fim, basta tocar em “Ativar agora”. Quando o círculo estiver na parte direita, significa que a opção está ativada. 

Você também pode ajustar a intensidade do filtro e agendá-lo para os horários desejados. 

A depender da marca do seu celular, o nome das opções pode variar. Mas é bem provável que o processo de ativação do recurso seja o mesmo, ou muito parecido. 

luz azul do celular

luz azul do celular

luz azul do celular

luz azul do celular

No iOS, da Apple:

1 – Abra o menu e acesse “Ajustes”.

2 – Selecione a opções “Tela e Brilho”. 

3 – Toque em “Night Shift”.

4 – Depois, é só configurar a intensidade e o horário que o recurso será ativado.

 

luz azul do celular

Fonte do passo-a-passo: Tecnoblog

Caso o seu celular não possua essa opção de fábrica, é possível fazer o download de alguns aplicativos que cumprem o mesmo papel.

Veja quais são eles:

1 – Filtro de Luz Azul – Modo Noturno, Dormir Bem, disponível para Android.

2 – Twilight, disponível para Android.

3 – f.lux, disponível para Windows, Mac e Linux

Óculos com filtro de luz azul é a melhor opção para se proteger

Pra quem não pode diminuir ou abdicar totalmente do uso de aparelhos com telas, há uma outra solução bem interessante: os óculos de luz azul

De todas as opções, essa é considerada a mais eficiente, sendo recomendado para quem passa muito tempo exposto à luz azul e sente a fadiga ocular digital. 

Os óculos de luz azul também ajudam pessoas que sofrem com dificuldades para adormecer, pois permitem que a melatonina aja normalmente. Dessa forma, ajuda a reduzir ou eliminar dores de cabeça causadas pelos dispositivos digitais.

Além disso, também protegem a longo prazo a retina, evitando degeneração macular e catarata; enfraquecem a fadiga ocular.

Outras maneiras de se proteger da luz azul do celular

Além dos filtros e dos óculos, existem outras ações que podem assegurar a nossa saúde ocular e manter nossa rotina de sono ajustada. 

É recomendado que você:

  • Comece a praticar a regra 20-20-20.  Ou seja, a cada vinte minutos, faça uma pausa para ver algum objeto que esteja a seis metros de distância. Isso ajuda a reduzir a fadiga ocular digital
  • Ajuste o brilho das suas telas
  • Certifique-se de que você está a uma distância correta para usar seus dispositivos
  • Fique atento a sua postura
  • Não ignore outros problemas menores da sua visão
  • E claro, mantenha as consultas com o seu oftalmologista e converse com ele sobre a sua rotina de exposição à luz azul

Saiba mais sobre outras maneiras de usar o computador, sem prejudicar a sua visão. 

Já ouviu algum tipo de filtro de luz azul?

Agora, queremos saber a sua opinião. O que você acha do filtro? Prefere ativar o recurso ou não? 

Caso já faça o uso dele, como se sente?  

Deixe seu comentário aqui embaixo. Ficaremos felizes em ler e responder a sua experiência. 

Fontes

Forbes

Harvard Health Publishing 

Healthline

Ucdavis Health

Veja

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *