midríase

Midríase: o que é, causas, quando se preocupar e tratamentos

5
(3)

Midríase é o termo usado para descrever uma condição de alargamento ou dilatação anormal das pupilas. E isso acontece mesmo sem a presença de alterações dos níveis de luz. 

Entenda o que causa a midríase e como ela pode ser tratada. E fique por dentro dos sinais que podem indicar a necessidade de ver um médico oftalmologista.

O que é a midríase?

A pupila e íris são os dois círculos principais dos olhos. A íris é a região colorida, já a pupila é o círculo menor, ao centro, de cor preta. Mas, após entender essa diferença, vamos falar da midríase, que ocorre na região da pupila.

As pupilas têm a função de receber a luz do ambiente e enviar para a retina, que por sua vez transforma esse processo nas imagens que vemos. Em geral, as pupilas se alargam ou dilatam quando exposta à luz baixa. Isso acontece para a captura de mais luz e, assim, ser possível acontecer corretamente o processo de gerar as imagens Afinal, nós sabemos que no escuro, é quase impossível enxergar.

Sendo assim, a dilatação das pupilas de maneira incomum é chamada de midríase. Também conhecida como “pupila dilatada”. Os médicos se referem ao oposto disso como miose. A midríase pode ocorrer em uma pupila, mas também nas duas ao mesmo tempo. Anisocoria é o nome dado quando afeta somente um olho.

Conforme estimativa, a cada 5 pessoas, 1 já nasce com as pupilas de tamanhos diferentes. E seus olhos reagem de maneira comum aos efeitos da luz. Anisocoria fisiológica, simples ou essencial é o nome dado à condição.

Causas da midríase

São muitos os motivos que podem causar midríase, como: lesão cerebral por trauma físico, derrame, alguns medicamentos, fatores psicológicos, entre outros. Então, vamos entender como cada um pode ocorrer.

Lesão cerebral

Um ferimento na cabeça, tumor ou derrame pode causar pressão no cérebro e danificar os músculos da íris. Nessa condição, geralmente, as pupilas abrem e fecham. Pode acontecer de uma delas ou até as duas ficarem fixas na posição dilatada e sem reagir à luz.

Lesão ocular

Sofrer um trauma na região dos olhos pode danificar os nervos da íris que controlam o tamanho da pupila. Isso também pode acontecer após uma cirurgia ocular, como transplante de córnea ou remoção de catarata.

Concentração

Para avaliar se as pupilas dilatam ou se contraem durante tarefas intelectuais que exigem a concentração. Ou mesmo quando reagimos a algumas emoções, pesquisadores têm usado a técnica da pupilometria (medição das pupilas). .

Ocitocina

A ocitocina é um hormônio conhecido por ser o responsável por promover o sentimento do amor. Ele tem como função promover as contrações musculares uterinas durante o parto. Além da projeção do leite durante a amamentação. O aumento desse hormônio tende a dilatar as pupilas.

Exames de pupila dilatada

Oftalmologistas e optometristas podem usar colírios especiais, chamados midriáticos, para dilatar as pupilas durante exames nos olhos. Em média, de 15 a 30 minutos após a aplicação, o paciente já terá as pupilas dilatadas. Isso permite que o especialista tenha uma boa visão, tanto da retina, como do nervo óptico.

Na tentativa de diagnosticar problemas, os exames oftalmológicos podem ser realizados. Como no caso do glaucoma, degeneração ocular e outras condições que colocam em risco a visão.  Geralmente, os efeitos do colírio duram de 4 a 6 horas.

Neuropatia do nervo craniano

Em uma situação que o nervo craniano é danificado, isso pode causar paralisia e interferir na capacidade do corpo de controlar os músculos dos olhos. Como consequência, pode resultar em midríase.

Midríase unilateral benigna episódica

Essa condição acontece quando uma pessoa saudável, com histórico de dores de cabeça, como enxaqueca, de repente tem uma das pupilas dilatadas. Assim, é benigna por não ter relação com algo grave. Além disso, o normal é a pupila voltar ao estado original em pouco tempo, mas há casos em que pode durar dias.

Plantas

Algumas plantas podem provocar a dilatação das pupilas, como é o caso da beladona, erva daninha e trombeta de anjo.

Remédios

Alguns medicamentos possuem em sua composição componentes que atingem a região da pupila impedindo que elas fiquem menores na presença da luz. Isso pode ocorrer em um dos olhos ou ambos.

Exemplos de remédios que podem provocar essa condição: anti-histamínicos; botox; relaxantes musculares; medicamentos usados ​​para tratar a doença de Parkinson; anticolinérgicos – usados ​​para bloquear neurotransmissores em indivíduos com incontinência urinária e outras condições.

Drogas

Algumas drogas também afetam os músculos de dilatação da pupila, retardando sua resposta à luz. Alguns exemplos são: cocaína, anfetamina, LSD e êxtase. Por isso, o usuário de drogas pode ter os olhos alterados mesmo em locais iluminados. Retirar as drogas também podem ocasionar a dilatação.

Traumatismo craniano

Quando uma pessoa sofre um traumatismo craniano é normal que um dos procedimentos seja, um médico ou enfermeira, direcionar uma luz aos olhos do paciente para identificar a reação das pupilas. O correto é elas diminuírem.

Quando é indicado procurar um médico em caso de midríase?

Na maior parte dos casos, as pupilas dilatadas não indicam um problema sério de saúde e o mais provável é que a condição desapareça rápido.

Mas caso aconteça acompanhada de outros sintomas, como:

  • dores de cabeça,
  • visão embaçada,
  • sensação de pressão na testa ou ao redor dos olhos,
  • tonturas,
  • problemas para dormir,
  • irritação nos olhos ou confusão

Nessas situações é indicado consultar um médico. Também é importante procurar um especialista se notar que uma pupila fica maior que a outra.

O que esperar da visita ao médico?

É provável que o especialista pergunte sobre os sintomas; revise seu histórico clínico e também precisará saber se você está fazendo uso de medicamentos. Em caso de reposta positiva, ele também pode perguntar quais são; se faz uso de drogas; e se teve algum ferimento. Principalmente na região dos olhos ou cabeça.

O médico também fará o teste de visão. O que pode incluir um teste de acuidade visual e um de motilidade ocular para examinar os músculos do olho. É provável que o especialista também solicite exames de sangue.

Lidando com sintomas da midríase

Algumas maneiras ajudam a controlar os sintomas do olho dilatado:

  • evitar a luz solar direta;
  • não dirigir, principalmente durante o dia;
  • usar óculos de sol em ambientes claros, prescritos por um especialista
  • evitar a leitura muito próxima dos olhos

Complicações

Pessoas com midríase são extremamente sensíveis à luz, quando suas pupilas estão dilatadas. Então, é indicado usar óculos escuros em locais claros ou ao ar livre e evitar luzes fortes. 

Entretanto, se a midríase for desenvolvida por medicamento, o ideal é evitar tomá-lo novamente. Nesses casos, é possível que o médico encontre uma medicação alternativa. O mesmo ocorre para os casos de pessoas com midríase por reação alérgica a plantas. Devem evitar contato ao máximo.

Tratamentos para midríase

O tratamento será definido pela causa. Todos terão como objetivo principal manter as funções totais dos olhos.

Um exemplo disso é o caso da dilatação pupilar causada por uma reação a determinado medicamento, pois mesmo existindo diversos remédios para fazer as pupilas voltarem ao normal, muitos especialistas orientam o paciente a esperar que os efeitos da medicação passe e evitá-la futuramente.

Serão realizados tratamentos mais intensos, uma vez que a midríase seja causada por lesões no cérebro ou nos olhos. Em casos extremos, o indivíduo pode precisar de cirurgia a fim de reparar os danos causados aos nervos ou estruturas oculares. É possível que a pessoa use o tapa-olho enquanto seus olhos cicatrizam.

Doses baixas de pilocarpina – medicamento geralmente usado para tratar o glaucoma – também podem ser indicadas a fim de ajudar a contrair ou estreitar as pupilas. Em alguns casos o médico pode recomendar ao mesmo tempo o uso de lentes de contato opacas ou óculos de sol sensíveis à luz para auxiliar no tratamento.

Dessa maneira, como a midríase pode ser causada por diversas formas é importante consultar um médico sempre que perceber algum dos sintomas apresentados no artigo. Normalmente, quanto antes descoberta a causa, melhores serão os resultados.

Em resumo, realizar o teste de visão e consultar regularmente um oftalmologista é essencial para a saúde dos seus olhos. Aproveite a oportunidade e faça agora o seu teste de visão. Nós, da Lenscope reunimos um time de especialistas em saúde dos olhos e criamos um teste gratuito e 100% online. Dessa forma, você fica sabendo em poucos cliques como anda sua acuidade visual. 

Fazer teste de visão da Lenscope!.

Gostou do artigo? Mas, não vá ainda! Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o link com os amigos e a família. Afinal, com essas informações todos podem se dedicar a ter uma visão mais saudável. Para descobrir mais dicas sobre os olhos, continue lendo nosso blog. Todos os dias temos novidades.

Fontes:

Healthline.com

Medicalnewstoday

Webmd.com

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *