o que é estrabismo

O que é estrabismo? Causas, sintomas e tratamentos

0
(0)

O estrabismo é um distúrbio que afeta o paralelismo entre os dois olhos, fazendo com que eles apontem para direções diferentes.  Por isso, é também chamado de vesguice ou olho torto. 

É causado por um desiquilíbrio nas funções dos músculos oculares e pode ser categorizado em diferentes tipos

 Os tipos mais comuns de estrabismo são:

  • Estrabismo Convergente (esotropia) – Desvio de um ou dos dois olhos para dentro
  • Estrabismo Divergente (exotropia)Desvio de um ou dos dois olhos para fora
  • Estrabismo VerticalUm olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro
  • Estrabismo Alternante – Quando o desvio se alterna de um olho para o outro (ora o olho direito, ora o esquerdo)
  • Estrabismo IntermitenteQuando acontece variação do alinhamento e do desvio do olho (ora o olho desvia, ora não), sendo bastante comum para o caso de estrabismo divergente
O que é estrabismo

Tipos de estrabismo

Além disso, podem acontecer ainda combinações entre os tipos de desvios. Por exemplo, a combinação do desvio horizontal com o desvio vertical no mesmo paciente.

Então, agora que você já sabe os tipos que existem, entenda as principais causas para esse problema e como curar.

Causas do estrabismo

A principal causa do estrabismo está relacionado ao funcionamento dos músculos dos olhos.

Isso acontece porque na região ocular, todas as pessoas apresentam 6 músculos responsáveis pelo controle do movimento dos olhos, sendo que todos eles estão conectados entre si e ao sistema nervoso central.

Algumas situações podem ocasionar danos em tais músculos, o que proporciona o cenário perfeito para o desenvolvimento do estrabismo.

Por exemplo, lesões nos músculos dos olhos ou lesões ao sistema nervoso central podem resultar no surgimento do problema ocular.

Inclusive, problemas de saúde que afetam o sistema nervoso central podem ser desencadeadores para o aparecimento do estrabismo no olho de uma pessoa, especialmente, nas crianças a partir dos seis meses de vida, caracterizando o estrabismo infantil.

Veja outras causas do estrabismo:

  • Paralisia cerebral 
  • Hidrocefalia
  • Prematuridade
  • Traumas cranianos
  • Viroses 
  • Síndrome de Down

Entre as principais causas do estrabismo em adultos, destacamos:

  • Diabetes
  • Doenças neurológicas, como o Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Tireoide
  • Grau elevado de hipermetropia
  • Baixa visão em um dos dois olhos 
  • Catarata Congênita
  • Doenças infeciosas (meningite) 

Estrabismo infantil

O estrabismo infantil atinge de 2 a 4% das crianças brasileiras já na primeira infância, ou seja, até os 6 anos de idade, segundo dados do IBGE.

Embora preocupante, trata-se de um problema de visão que apresenta ótimos tratamentos e altas chances de cura.

O primordial nesses casos é o diagnóstico e tratamento precoce.

As crianças podem tratar do problema de visão com o uso de tampões, óculos de grauaplicação de toxinas botulínicas e, para alguns casos, cirurgia corretiva.

Entre as principais causas do estrabismo infantil está a hereditariedade. Ou seja, a chance da criança ter o desvio é maior quando já existe histórico de estrabismo na família.

Além do fator genético, o estrabismo infantil também quase sempre está relacionado ao enfraquecimento dos músculos que controlam a posição dos olhos.

Isso ocorre quando a criança tem algum distúrbio genético, como a Síndrome de Down, ou nos casos de doenças neurológicas, como paralisia cerebral e AVC.

Um dos maiores perigos do estrabismo infantil é que ele pode causar ambliopia, popularmente conhecida como “olho preguiçoso”.

Esse problema ocorre quando o olho saudável tenta “compensar” a visão do olho estrábico assumindo sua função. Isso faz com que o olho estrábico pare de ser usado e comece a perder a visão progressivamente.

Dos tipos de estrabismo existentes, o mais comum de evoluir para ambliopia é a esotropia acomodativa (olho para dentro).

Esse tipo de estrabismo ocorre em crianças com alta hipermetropia, quando elas precisam fazer muito esforço para focar em objetos de perto.

O esforço feito é tão grande que acaba desalinhando os olhos, causando um estrabismo convergente.

Sintomas 

Os sintomas podem se apresentar de maneira constante ou intermitente, como:

  • Olhos cruzados (desviados)
  • Movimentos oculares descoordenados (olhos não se movimentam juntos)
  • Olhos que não se alinham na mesma direção
  • Diplopia (visão dupla), sendo comum nos adultos
  • Perda da percepção de profundidade dos objetos

Um outro sintoma bastante claro do estrabismo é a aparência física do olho, já que é possível perceber fisicamente o desvio provocado nos olhos pelo problema de visão.

Segundo o médico Drauzio Varella, os sinais do estrabismo variam de acordo com a idade em que o problema se manifesta no olho da pessoa.

Em crianças, por exemplo, não é comum a visão dupla (diplopia), diferente dos casos em adultos, em que eles quase sempre se queixam desse principal sintoma do estrabismo. 

Tratamentos

Para tratar o estrabismo é necessário, antes, o diagnóstico do problema pelo médico especialista.

Os profissionais que atendem e diagnosticam o problema de visão são: neurologistas, pediatras e oftalmologistas.

Dentre os meios de cuidar do estrabismo infantil, destacamos:

  • Uso de Tapa-Olho no olho com visão normal (estimulando, assim, o funcionamento do olho com deficiência);
  • Óculos de grau, sendo óculos bifocais (permitem a visão tanto de longe quanto de perto);
  • Colírios prescritos;
  • Aplicação da Toxina Botulínica (bloqueando a chegada dos impulsos nervosos ao músculo, paralisando-o e, consequentemente, alinhando os olhos);
  • Cirurgia corretiva (recomendada apenas quando o tratamento médico não é suficiente para correção do desvio)

Para o estrabismo em adultos, é recomendado:

  •  Óculos de grau;
  • Lentes de contato corretivas;
  • Prática de exercícios de ortótica para o alinhamento dos olhos;

Para os adultos, a intervenção cirúrgica também é indicada nos casos de necessidade de correção do desvio do olho.

Essa cirurgia corretiva consiste em um pequeno corte na conjuntiva que envolve o olho, até alcançar o músculo responsável pelo movimento ocular. Assim, é corrigida a posição desse músculo e, consequentemente, a correção do desvio. 

Agora, caso o estrabismo nos adultos seja resultado da perda de visão, primeiro é preciso corrigir o problema que esteja afetando a saúde ocular para, só depois, a cirurgia ser realizada.

Recomendações

A principal recomendação é procurar pelo médico de confiança assim que qualquer diferença entre as direções que os olhos apontam for notada.

O estrabismo não melhora conforme o tempo passa se não for tratado assim que surgir.

Como é a cirurgia do estrabismo?

A cirurgia do estrabismo é realizada para ajustar o alinhamento dos olhos. Para isso, é preciso mudar a posição dos músculos.

O procedimento consiste em fazer um pequeno corte na lateral do olho para tensionar ou alongar o músculo. Esse corte é feito sob anestesia local ou geral, de acordo com a preferência do paciente.

A recuperação não é demorada, mas é comum que os olhos fiquem vermelhos e mais sensíveis. O pós-operatório inclui também um período de adaptação com a nova focalização ocular.

Além dos óculos corretivos e do tampão, também existem exercícios oculares que melhoram a visão e podem evitar uma possível cirurgia.

Como é a visão de quem tem estrabismo?

Quem tem a visão normal, os dois olhos apontam para a mesma direção. Nosso cérebro, então, combina as duas imagens recebidas pelo nossos olhos em uma única e tridimensional imagem.

É assim que conseguimos dizer o quão perto ou longe um objeto está de nós. Também chamamos isso de percepção de profundidade.

Quando um de nossos olhos não está alinhado, ou seja, apontam para diferentes direções, duas imagens diferentes são enviadas para nosso cérebro.

Na criança, o cérebro ignora a imagem vinda do olho desalinhado. Dessa forma, a criança enxerga apenas a imagem recebida pelo olho normal.

O resultado isso é que, nesses casos, a percepção de profundidade é perdida.

Já nos adultos, o cérebro não ignora a imagem recebida do olho desalinhado. Dessa forma, o adulto passa a enxergar tendo visão dupla.  Isso acontece, porque o cérebro já aprendeu a receber imagens dos dois olhos, não conseguindo ignorar uma das imagens.

Estrabismo tem cura?

Sim. O estrabismo tem cura principalmente quando é diagnosticado precocemente.

Mas é importante saber que a regressão dessa doença não acontece de forma espontânea, é necessário, portanto, sempre algum tipo de intervenção.

E quanto antes o tratamento tiver início, melhores serão os resultados.

Fontes:  American Academy of Ophthalmology

Cleveland Clinic

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *