vacina contra COVID-19

Vacina contra COVID-19 terá efeitos colaterais na visão?

Este post foi atualizado em 1 fevereiro, 2021

O mês de janeiro trouxe para o Brasil um sinal de esperança, já que as vacinas contra a COVID-19 foram autorizadas para uso emergencial no país.

Além disso, a partir de um levantamento realizado pelo DATAFOLHA no último dia 23 de janeiro e publicado no site da CNN Brasil, foi constatado que cerca de 79% dos brasileiros disseram que desejam se imunizar contra o COVID-19, contra 17% de pessoas que disseram que não pretendem se vacinar.

No entanto, apesar da porcentagem a favor da imunização ter aumentado desde o último levantamento feito em dezembro de 2020, muitos ainda não estão seguros com relação aos efeitos colaterais que a vacina pode causar.

Inclusive, nos Estados Unidos, o medo dos efeitos colaterais à visão foi um dos motivos que deixaram vários cidadãos norte-americanos hesitantes sobre tomar ou não a vacina.

Em um caso isolado, no Alasca, um homem notificou o inchaço dos olhos após ter recebido a dose da vacina Pfizer. Além desse caso, outros dois no Reino Unido despertaram a atenção do laboratório da Pfizer para os efeitos provocados à visão dos imunizados com a vacina.

Apesar do medo, não há evidências que a vacina contra COVID-19 provoque algum efeito nocivo aos nossos olhos, prejudicando nossa visão.

Aliás, os efeitos colaterais observados até o presente momento pelos Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA da vacina Pfizer contra COVID-19 são: 

  • Febre;
  • Calafrios;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nas articulações;
  • Sensação de cansaço;
  • Dor e inchaço da região da aplicação da dose da vacina (no braço);
  • Dor muscular

Mesmo estes efeitos colaterais tendo sido relatados a partir da vacinação com doses do imunizante da Pfizer, no Brasil, os estudos mais conclusivos são os da vacina do laboratório chinês SINOVAC, com o uso da vacina CORONAVAC

As vacinas contra COVID-19 que estão em andamento do Brasil

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), do Ministério da Saúde do Governo Federal brasileiro, no Brasil, as seguintes vacinas estão em processo de uso emergencial contra a COVID-19:

  • AstraZeneca e Universidade de Oxford (AZD1222): a vacina inglesa autorizada pela ANVISA poderá ser usada em diversos estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, entre outros
  • Sinovac (Coronavac): a vacina chinesa desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan demonstrou uma taxa de eficácia de 78% para casos leves e de 100% para infecções moderadas e graves;
  • Pfizer e BioNTech (BNT162): a vacina norte americana e alemã fazendo parte da vacinação dos estados de São Paulo e da Bahia
  • AD26.COV2.S(VAC31518): produzida pela Europa, pelo laboratório Janssen-Cilag, poderá ser usada em diversos estados brasileiros. 

O que os oftalmologistas falam sobre a vacina para COVID-19?

Embora inicialmente muitos boatos tenham circulado atestando sobre os efeitos colaterais sobre a vacina para COVID-19, envolvendo a nossa saúde ocular, muitos oftalmologistas se manifestaram. 

Vários médicos norte-americanos reforçaram que não há evidências que a vacina contra a COVID-19 provoque efeitos colaterais à saúde ocular.

Aliás, muitos especialistas dizem que os benefícios da vacinação são maiores do que qualquer risco de efeitos colaterais.

Veja aqui como os olhos podem transmitir o novo Coronavírus.

Quem não pode tomar a vacina contra COVID-19

Em matéria publicada no portal de notícias R7 saúde, de acordo com o infectologista Leonardo Weissmann, da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), a maioria da população brasileira pode receber a vacina contra a COVID-19.

No entanto, alguns grupos não poderão receber as doses neste primeiro momento. São os grupos de:

  • Pessoas com histórico de reações alérgicas graves a algum dos componentes da vacina. 
  • Crianças com menos de 16 anos;
  • Grávidas e mulheres a amamentar;

Isso porque não há ainda estudos conclusivos sobre testes realizados com essa parcela específica da população.

Pessoas que vão poder tomar a vacina contra COVID-19

O infectologista ainda alerta na reportagem que a vacinação deve ocorrer apenas sob supervisão do médico responsável pelo tratamento. E ainda lista todos que se enquadram nos grupos a seguir e que poderão receber a vacina. São os grupos de: 

  • Idosos;
  • Portadores de doenças crônicas;
  • Pacientes a fazer uso de imunossupressores (como os que estão em tratamento contra o câncer ou HIV positivo)
  • Doenças autoimunes reumatológicas;
  • Quem já teve COVID-19 (já que existem novas variantes do vírus e a imunidade conferida em quem já teve a doença não dura tanto tempo)

O infectologista ainda ressalta que existem riscos para uma reinfecção pelo vírus. Por isso a importância de vacinar a população que já tenha sido contaminada pelo COVID-19 ou que tenha contraído a doença no intervalo entre as duas doses da vacina.

Além disso, o médico ressaltou que as vacinas contra COVID-19 que, serão usadas no Brasil, são de baixo risco para manifestação de efeitos colaterais, além de serem muito seguras.

Efeitos colaterais conhecidos até o momento

Dentre os efeitos colaterais conhecidos até o momento, destacamos:

  • Dor muscular
  • Dor na região de aplicação da injeção
  • Febre
  • Inchaço da região de aplicação da injeção
  • Dor nas articulações
  • Dores de cabeça
  • Sensação de cansaço

A partir de todos os efeitos colaterais observados, especialistas no assunto defendem que se tratam de efeitos colaterais “normais” e esperados de qualquer vacina usada para imunização da população.

Isso porque os efeitos sentidos pelos que foram vacinados são sinais de que o organismo reagiu à dose, de forma a combater o vírus atenuado, injetado no organismo pela vacina. 

Doenças prevenidas com a vacina

Muitas doenças graves são prevenidas há anos no Brasil através das campanhas de vacinação.

Inclusive, a maioria das vacinas é administrada conforme a criança cresce, sendo que algumas vacinas são administradas quando somos ainda bebês e outras em crianças ou adolescentes, tendo necessidade de reforçar a dose da vacina após um intervalo de tempo. 

Esse é o exemplo da vacina do tétano em que a dose é reforçada a cada 10 anos.

Preparamos uma lista de doenças que são prevenidas com a vacina, para você ver a importância das vacinas no contexto do cuidado de nossa saúde:

  • Catapora
  • Sarampo
  • Caxumba
  • Poliomielite
  • Tétano
  • Hepatite B
  • Rubéula
  • Difteria
  • Tuberculose 
  • Febre Amarela
  • Coqueluche

Problemas nos olhos relacionados a outras vacinas

Apesar da vacina contra COVID-19 ainda não ter nenhuma evidência que comprove efeito colateral que afete a nossa visão, outras vacinas podem causar problemas nos olhos. São elas: 

  • Vacina contra gripe sazonal – como efeito colateral, os olhos podem ficar avermelhados, doloridos e a visão turva
  • Vacina contra caxumba-sarampo-rubéola (MMR) – efeito colateral raro da vacina que pode provocar inflamação dos nervos ópticos 
  • Vacinas contra herpes zoster e varicela – essa vacina pode provocar efeitos colaterais raros que provocam inflamação da córnea

No então, tratam-se de casos raros, com baixa incidência na população mundial.

O que fazer então em relação à vacina contra COVID-19?

Apesar de haver muita controvérsia e bastante circulação de “fake news” sobre a vacina contra COVID-19, especialistas garantem que os benefícios da vacina são inúmeros.

É somente com a vacina que será possível imunizar a população brasileira contra COVID-19, especialmente a população de risco e mais vulnerável a manifestar as complicações da doença.

Além disso, não há nenhuma evidência que afirme algum tipo de efeito colateral da vacina aos nossos olhos.

Os incidentes isolados dos efeitos colaterais nos olhos de três pacientes até o momento já estão sendo investigados pelo laboratório da Pfizer. 

Os efeitos manifestados até o momento – salvo os casos raros – são comuns em qualquer processo de vacinação. Por isso, não há necessidade de medo ou desconfiança, já que vários testes foram realizados e diversos médicos recomendam a imunização contra a COVID-19.

Leia mais: Dor nos olhos também pode ser sintoma de COVID-19.

Fontes

ANESP

All About Vision

BBC News

CNN Brasil

Center of Disease Control and Prevention 

DW

Gov.br Ministério da Saúde

R7 Saúde

The New York Times

Tua Saúde

Viva Bem Saúde UOL



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Pin It on Pinterest