volta as aulas

Volta às aulas: dicas para manter a saúde dos olhos

Este post foi atualizado em 8 maio, 2021

A volta às aulas se tornou o assunto do momento. O ano letivo de 2020 foi desafiador para a maioria das famílias com filhos em idade escolar, principalmente com o primeiro contato com uma rotina de aulas 100% online. 

Agora em 2021, as aulas presenciais estão voltando e os preparativos com a saúde de cada aluno está sendo redobrada. Mas e o cuidado com a visão de seus filhos nesta volta às aulas, como está? 

Dicas para manter a saúde dos olhos das crianças na volta às aulas

Existem algumas atividades que você pode fazer no dia-a-dia para estimular e proteger a visão dos pequenos:

Crie pratos coloridos e estimule atividades físicas

A primeira atividade é investir em pratos cheios de frutas e vegetais como couve, espinafre e frutas vermelhas para promover a saúde da retina. Adicione também peixes de água salgada e nozes ao menu para estimular a produção de lágrimas de boa qualidade.

Pressão alta, colesterol elevado e diabetes podem resultar em perda de visão. Mas crianças que são ativas e mantêm um peso saudável têm um risco menor de desenvolver estas doenças.

Você pode conferir nosso artigo sobre os melhores alimentos para a saúde visual aqui.

Preste atenção se a criança está apertando os olhos

As crianças podem não saber a diferença entre visão clara e embaçada. Então, se você perceber que elas estão apertando os olhos, sentando perto da televisão ou fechando um olho enquanto lê, elas podem precisar de óculos.

Proteja os olhos de seus filhos durante os jogos

Muitas lesões oculares sofridas por crianças ocorrem durante a prática de esportes. Por isso, elas podem ser evitadas com os óculos de proteção adequados.

Dessa forma, mantenha os olhos de seus filhos protegidos durante as atividades extracurriculares, perguntando ao seu oftalmologista sobre óculos de proteção.

Evite muito tempo na frente de telas

As crianças devem fazer uma pausa na tela para relaxar os olhos enquanto ficam no computador, assistem à televisão e jogam em tablets ou smartphones.

Portanto,  experimente a regra 20/20/20: a cada 20 minutos, faça com que eles olhem para algo a 6 metros de distância por 20 segundos. Outra dica para proteger os olhos de seus filhos é investir em lentes para óculos que filtram a luz azul.

Ensine o hábito de lavar as mãos com frequência

As mãos entram em contato com germes durante o dia, especialmente na escola. E não podemos esquecer que estamos numa pandemia e o contato com superfícies infectadas pelo Covid-19 pode acontecer.

Por isso, incentive as crianças a não tocarem nos olhos e a manterem as mãos limpas. Assim, há a redução dos riscos de contrair e espalhar uma infecção ocular ou outras doença

Invista num óculos escuros

A luz ultravioleta danifica os olhos, então escolha óculos de sol que ofereçam 100% de proteção UV.

Além disso, os olhos das crianças não filtram a luz ultravioleta tão bem quanto os olhos dos adultos. Por isso, também é indicado que crianças utilizem óculos de sol.

Lembre-se: Tons mais escuros de lentes não significam necessariamente mais proteção, e a exposição aos raios ultravioleta ainda é um risco em dias nublados.

Então, se seu filho precisa de óculos, invista em lentes de grau que tenham proteção UV.

Converse sobre o mal que o cigarro faz

Fumar faz mal aos olhos e ao resto do corpo e pode aumentar o risco de catarata e degeneração macular. Por isso, incentive desde cedo seus filhos a dizer não ao fumo.

Conheça seu histórico familiar

Ter um histórico familiar de doenças oculares como degeneração macular ou glaucoma aumenta nosso próprio risco de perda de visão.

Tendo doenças oculares na família, não deixe de levar seus filhos ao oftalmologista para realização de diagnósticos precoces.

Converse sobre sua história pessoal e familiar com seus filhos para que eles possam estar mais bem informados sobre sua própria saúde ocular.

A importância dos exames de vista antes da volta às aulas

Fazer exames aos olhos do seu filho regularmente é absolutamente vital para garantir o desenvolvimento saudável dos olhos e que eles tenham as habilidades visuais necessárias para um aprendizado bem-sucedido.

A American Optometric Association recomenda que as crianças façam um exame oftalmológico antes de completarem um ano de idade, pelo menos uma vez entre 3 e 5 anos de idade.

E uma vez por ano após a primeira série até a graduação. Seu oftalmologista pode recomendar a melhor frequência para seu filho.

Seu filho ainda deve receber um exame oftalmológico completo. Independentemente de ele receber um exame de visão na escola ou mesmo no consultório do pediatra.

Embora os exames de visão possam indicar algum problema de visão, muitas vezes eles apenas testam a capacidade do seu filho de ver coisas que estão longe, como um quadro branco de sala de aula.

O que um exame de vista identifica

Um exame oftalmológico abrangente analisa a saúde ocular completa e inclui testes para o seguinte, além de uma compreensão do histórico de saúde do paciente e da família:

 

  • Acuidade visual;
  • Percepção de profundidade;
  • Visão colorida;
  • Visão periférica;
  • Erros de refração (como miopia, hipermetropia e astigmatismo);
  • Foco ocular, rastreamento, sincronização dos olhos e outras habilidades de movimento ocular.

 

 

Sophie Koh, da Optometry Australia, diz que todas as crianças devem fazer um exame de vista completo antes de começarem a escola. Ela diz que qualquer problema de visão, se deixado sem supervisão, pode afetar gravemente as crianças na sala de aula.

“Desde dificuldade para ler algo no quadro branco até concentração, há uma série de maneiras pelas quais os problemas de visão podem afetar o aprendizado e a confiança.”

É importante que os pais assumam a liderança na saúde dos olhos, pois as crianças podem estar tendo problemas de visão sem saber, diz Sophie.

“Algumas crianças são erroneamente rotuladas como aprendizes lentos, com falta de confiança ou mesmo criadoras de problemas, quando, na verdade, têm uma condição de visão não detectada que pode ser identificada e corrigida com uma simples visita ao optometrista ou oftalmologista.”

Sinais que os pais devem ficar de olho na visão das crianças

O oftalmopediatra Tiago Ribeiro, do Visão Institutos, destaca alguns pontos importantes sobre a saúde ocular das crianças.

“É muito importante que a criança esteja enxergando bem, para que ela possa atingir todo o potencial que tem de aprendizado na escola.”

As queixas mais comuns das crianças durante uma consulta são dor de cabeça e dificuldade de enxergar o quadro.

“Essas queixas podem estar relacionadas a alterações visuais ou a maus hábitos posturais e de uso da visão”, explica Dr. Tiago.

Esta dificuldade ao enxergar faz com que a criança tenha problemas em conseguir se concentrar. “A criança que não vê bem, dificilmente manterá a concentração na escola. Algumas ficam mais introspectivas e outras mais agitadas, inquietas”, esclareceu o especialista.

O médico também comenta sobre a importância nas avaliações de rotina: “Muitas crianças não sabem informar o que está incomodando, aí está a importância da avaliação de rotina.”

Perguntas recomendadas para os pais

Os pais devem se fazer as seguintes perguntas: 

  1. Os olhos do meu filho estão alinhados corretamente? Ou um ou ambos os olhos se voltam para dentro ou para fora?
  2. Meu filho costuma esfregar os olhos ou piscar excessivamente ao ler, estudar (fazer a lição de casa, escrever), usar o computador / jogar videogame ou assistir TV?
  3. Meu filho se perde com frequência ao ler?
  4. Meu filho tem dores de cabeça frequentes durante a semana escolar ou durante atividades que utilizam visão para perto (como ler, desenhar e escrever)?
  5. As notas do meu filho são altas em aulas não visuais e baixas em outras aulas mais visualmente focadas, como matemática ou leitura?
  6. Quanto tempo meu filho consegue ler antes de fazer uma pausa visual?
  7. Meu filho tem um desempenho com um baixo nível de compreensão ou eficiência?
  8. Meu filho sente desconforto, fadiga ou tem um período de atenção curto?
  9. Meu filho aperta os olhos enquanto lê ou assiste televisão?

Identificando algum desses sinais, não deixe de levar seu filho ao oftalmologista. Um tratamento ou correção correta do problema visual identificado trás impacto positivo no comportamento da criança.

O uso das telas digitais prejudica a saúde visual das crianças?

Não importa onde seu filho estará participando da escola este ano. Seja aprendizado virtual em casa, por conta do Covid-19, ou em uma sala de aula tradicional, o contato com as telas eletrônicas, como TV, computador, celular e tablet faz parte da rotina de crianças e adolescentes que estão crescendo neste mundo cada vez mais digital.

O uso de computadores e dispositivos inteligentes tornou- se comum na sala de aula e é quase vital para completar as tarefas de casa.

Os alunos podem até usar e-books em vez de uma cópia impressa. A Dra. Kimberly Friedman, porta-voz da AOA, disse:

“Quando as crianças ficam olhando para as telas por horas todos os dias, isso pode causar desconforto visual que pode interferir em sua capacidade de se concentrar e aprender”.

A síndrome da visão de computador (SVC)

Embora o uso contínuo de computadores e eletrônicos não prejudique a visão de uma criança, o uso regular e prolongado de tecnologia em casa ou na escola pode levar a uma condição temporária chamada síndrome da visão de computador (SVC).

Os sintomas de SVC incluem fadiga ocular, dores de cabeça, fadiga, queimação ou cansaço nos olhos, perda de foco, visão turva, visão dupla e dor na nuca e pescoço.

O AOA sugere que os pais adotem uma regra 20-20-20 para evitar SVC: após 20 minutos de tempo na tela, seu filho deve fazer uma pausa de 20 segundos e ver algo a 6 metros de distância.

O uso da tecnologia em diferentes estágios dos aprendizados dos filhos

O uso da tecnologia também pode aumentar à medida que seu filho passa pelos diferentes estágios de sua educação.

Os pais devem procurar sinais e sintomas de SVC ou problemas de visão não diagnosticados que podem exigir um exame oftalmológico.

O AOA sugere que os pais de crianças em idade pré-escolar e do jardim de infância devem limitar o tempo de tecnologia a duas horas ou menos por dia. E aumentar o tamanho das letras na tela quando possível.

Os pais de crianças em idade escolar devem encorajar seus filhos a posicionar todos os dispositivos a meio braço de distância do olho. Além de fazer pausas frequentes e mudar de posição com frequência ao trabalhar em um computador.

Já os pais de alunos do ensino fundamental e médio devem encorajar os mesmos princípios para os alunos do ensino fundamental, bem como reduzir os níveis de brilho de seus dispositivos eletrônicos.

Outra dica para proteger os olhos de seu filho durante as horas nas frentes da tela é investir em óculos com filtro de luz azul.

Dicas para usar as telas digitais ao longo dos estudos

Se seu filho precisa passar várias horas na frente de um computador para estudar, fique atento para preparar o ambiente certo para que ele não force os olhos ou fique com uma postura ruim:

  • Um computador não deve ser posicionado a menos de 50 centímetros dos olhos do aluno. 60-65 centímetros de distância é melhor.
  • O centro do monitor deve estar cerca de 10 centímetros mais baixo do que a linha de visão de uma posição de olhar direto para a frente.
  • Deve-se tomar cuidado para reduzir o brilho reflexivo da tela do monitor. Observe todas as janelas ou luzes acesas atrás de suas costas que causam distração do conteúdo do material.
  • Postura e eficiência de posicionamento são coisas que um pai pode observar e orientar o aluno. Esteja ele sentado à mesa da cozinha lendo um livro ou sentado em sua mesa com cadernos, livros, computador ou calculadora à mão.

A luz azul emitida pelas telas digitais pode ser particularmente ruim para os olhos. Além disso, ela pode ter um impacto negativo nos padrões de sono.

Isso acontece porque o cérebro registra a luz azul durante o dia, por isso é especialmente importante estar ciente do tempo na tela antes de dormir.

Por isso, desligue as telas pelo menos uma hora antes de dormir para, assim, garantir que as crianças caiam no sono com eficiência. E tenham um descanso restaurador profundo.

Além de limitar o tempo de tela à noite, você pode ajudar a filtrar luzes fortes com óculos com filtro de luz azul. Às vezes, são chamados de óculos de computador porque não têm receita, ou seja, podem ser usados sem grau. 

Esforce-se para que as crianças usem sempre esses óculos ao usar um dispositivo. Se isso não for possível, pesquise softwares e aplicativos de bloqueio de luz azul.

Dicas para os adultos que retornaram ao trabalho presencial em 2021

Para a maioria dos adultos, os exames oftalmológicos são recomendados a cada dois anos.

“Para aqueles com mais de 65 anos, exames oftalmológicos anuais são recomendados. E para aqueles com condições de saúde específicas, testes oculares mais frequentes podem ser necessários”. Diz a optometrista Sophie Koh.

“Se você notar qualquer alteração ou irregularidade em sua visão, você deve consultar seu oftalmologista imediatamente.”

Aplicar a regra 20 – 20 – 20 e utilizar lentes com filtro de luz azul também são uma boa prática para a saúde visual de adultos. Principalmente daqueles que passam horas na frente de telas.

Sintomas que indicam que é melhor não voltar às aulas presencialmente

Você deve monitorar seu filho todos os dias para detectar sinais de COVID-19. Esses incluem: 

 

  • Febre;
  • Congestão nasal ou nariz escorrendo;
  • Tosse;
  • Dor de garganta;
  • Falta de ar;
  • Fadiga;
  • Dor de cabeça;
  • Dores musculares;
  • Náusea ou vômito;
  • Diarréia;
  • Pouco apetite;
  • Perda do paladar e/ou olfato;
  • Dor de barriga;
  • Dor nos olhos;
  • Olhos vermelhos;
  • Conjuntivite.

 

 

Fique atento também a qualquer sinal de dor ou olhos vermelhos.

Um estudo publicado no BMJ Open Ophthalmology indicou que sentir dor nos olhos também pode ser sintoma de COVID-19.

Estudos recentes da Academia Americana de Oftalmologia (AA0) mostraram que a conjuntivite pode ser um sintoma do novo coronavírus.

No entanto, a contaminação nesses casos só ocorre se houver contato direto com a lágrima do infectado.

Como a conjuntivite é bastante comum no Brasil, não necessariamente quem tem conjuntivite está contaminado com o novo coronavírus.

Por isso, além dos olhos vermelhos, também é necessário ficar atento ao aparecimento de outros sintomas do COVID-19. 

Algumas escolas podem recomendar leituras de temperatura diárias como parte da triagem de sintomas COVID-19.

Porém, como muitos desses sintomas se sobrepõem a outras condições, como resfriado comum, alergias e gripe, a eficácia dessa triagem pode ser limitada.

Para limitar a propagação de COVID-19, bem como de outros germes, as crianças devem ficar em casa, sem ir à escola e outras atividades, se apresentarem quaisquer sinais de doença ou febre. Contate seu médico se você tiver dúvidas.

Fontes

Canberra Weekly

RevereHealth

Visão Hospital de Olhos

Brookside Optometric Group

MyChesCo

Society for the Bind

EyeCare Specialties of Colorado

Children’s Hospital of Richmond at VCU

Mayo Clinic



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Pin It on Pinterest