tetracromatismo

Tetracromatismo: visão super humana. Entenda aqui

Tetracromatismo é uma mutação genética permitindo enxergar cerca de 10 milhões de cores, enquanto um ser humano normal enxerga apenas 1 milhão de cores.

É uma condição mais comum em primatas, mas, apesar de raro, pode ocorrer em seres humanos também. 

O que é tetracromatismo?

É uma condição que pode acontecer apenas em mulheres. Uma mutação genética nos dois cromossomos X pode prover um cone extra na parte de trás dos olhos (são quatro cones, enquanto as pessoas comuns possuem três). Os cones são células nos olhos que nos permitem enxergar cores.

Dessa forma, esse cone extra faz com que seja possível enxergar 10 milhões de cores – 9 milhões a mais que o comum. 

Tetracromacia vs. tricromacia (visão normal)

A tricromacia é a visão comum, normal, que temos sem nenhuma mutação genética. Assim, temos, naturalmente, três cones nos olhos (células). São eles: 

  • Cones de ondas curtas (S): que permite enxergar cores como roxo e azul
  • Cones de ondas médias (M): que permite enxergar cores como amarelo e verde
  • Cones de ondas longas (L): que permite enxergar cores como vermelho e laranja 

Pessoas com tricromacia são capazes de enxergar 1 milhão de cores, sendo combinações entre essas cores e suas variáveis.

Já quem tem tetracromacia tem um cone a mais que funciona perfeitamente, e por isso, é capaz de fazer mais combinações e enxergar ainda mais variações de cores. 

Causas

Tetracromatismo é causado por uma mutação genética nos dois cromossomos X da mulher. Portanto, só pode acontecer com as mulheres. 

É uma condição muito rara em seres humanos (é mais comum em primatas, como os macacos), mas é mais comum se dar na mulher que é mãe ou filha de alguém com daltonismo. 

Como vemos as cores?

As cores são formadas na parte de trás do olho, na retina. A retina possui células que detectam cores, as hastes e os cones, que detectam cores variadas. 

Sua visão depende do fato de todos os cones funcionarem corretamente. E quem tem tetracromatismo, é capaz de enxergar mais variações ainda. 

Testes que identificam o tetracromatismo

Existem duas formas principais de identificar o tetracromatismo: 

1- Fazendo um teste de genética (em você e possivelmente nos familiares), para detectar mutação genética nos cromossomos X

2- Fazendo um teste de cores orientado pelo médico.

Alguns sites podem oferecer esse teste, mas não são 100% seguros, uma vez que não são capazes de detectar, de modo online, com a precisão necessária para o diagnóstico completo. 

Como é ter Tetracromatismo?

A pessoa que tem tetracromatismo vê tudo de forma mais intensa. Vários tons de branco, vários tons de cores dentro de uma só cor. Um ambiente público, como uma loja de roupas ou um supermercado podem ser lugares bastante caóticos. 

Entretanto, pode beneficiar artistas, pintores, designers, pessoas que trabalham com cores. 

Notícias sobre tetracromatismo

Vários veículos de mídia conceituados como a BBC relataram a história da artista plástica Concetta Antico, que em 2012 teve o seu diagnóstico.

Antes, ela relatou que dava aulas em uma escola e, toda vez que levava seus alunos ao parque, via cores diferentes que eles não eram capazes de enxergar. Outra vez, também relatou que reconheceu rapidamente que sua filha estava doente por ver a coloração da pele, que era diferente. 

Concetta é um dos casos raros e famosos do tetracromatismo.

E você, já tinha ouvido falar sobre isso? Conte para gente aqui nos comentários!

Fontes

Healthline

Optimax

Lenstore 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Pin It on Pinterest