Quando você se olha, o que você vê?

Perguntamos a você e a milhares de pessoas neste dia 20 de
outubro - o Dia Mundial do Combate ao Bullying

Mais do que desejar conhecer sua história, a gente quis te fazer um convite: Olhe para você hoje. O que você vê aí? Tenho certeza que há muitas características positivas, batalhas enfrentadas, momentos e, até mesmo dias inteiros, bem difíceis que você já conseguiu superar e que provaram: você é muito mais do que já te disseram.

Ver-se dessa forma não é uma tarefa fácil, a gente sabe. Os comentários dos outros pode te deixar com uma visão sobre si bastante distorcida. Mas o que acha de juntos darmos o primeiro passo para uma nova maneira de nos vermos? :)

Use a hashtag #MeOlhoMeVejo e fale sobre você a partir da visão da pessoa mais importante da sua vida: Você

Veja quem já está participando

    Quais são as formas de bullying?

    O bullying pode acontecer de diversas formas como verbal, social e física.

    Verbal

    O bullying verbal é
    caracterizado por:

    • Provocações
    • Xingamentos
    • Comentários impróprios de cunho sexual
    • Ameaças com o objetivo de ferir alguém fisicamente

    Social

    No bullying social é bastante comum ferir a reputação ou os relacionamentos pessoais, além de:

    • Criar histórias falsas a fim de convencer as pessoas a não ser amigas de alguém
    • Espalhar rumores falsos e fofocas sobre determinada pessoa
    • Constranger alguém em público
    • Excluir socialmente

    Físico

    Já o bullying físico é caracterizado por machucar fisicamente alguém ou quebrar e destruir o que ela possui. As principais ações que podem ser classificadas como bullying físico são:

    • Bater, chutar e beliscar
    • Cuspir
    • Empurrar ou fazer alguém tropeçar de propósito
    • Fazer gestos mesquinhos ou rudes

    Onde o bullying acontece?

    Escolas

    A maior parte da prática de bullying na infância e na adolescência acontece no ambiente escolar. No mundo todo, cerca de 246 milhões de estudantes relataram que já sofreram bullying na escola. Uma porcentagem significativa acontece em lugares de convívio comum como em playgrounds ou ônibus escolar.

    Trabalho

    No entanto, os adultos não estão livres do bullying no ambiente corporativo. 35% dos funcionários dos EUA já passaram por alguma situação de bullying e 13% chegam a pedir demissão após serem vítimas de bullying, segundo uma pesquisa conduzida pela Robert Half, empresa americana especializada em recrutamento.
    No ambiente corporativo, a vítima de bullying costuma ser funcionários mais velhos ou reconhecidos por terem alto desempenho, alto grau de integridade, honestidade e consciência para defender o que é certo.

    Na internet

    Na internet, a prática de bullying é conhecida como Cyberbullying e ocorre através das mensagens de texto, das redes sociais, em fóruns e jogos online onde as pessoas podem ver, participar ou compartilhar conteúdo.
    Cyberbullying é caracterizado pelo envio, postagem ou compartilhamento de conteúdo negativo, falso e privado com o objetivo de humilhar ou comprometer uma pessoa. Infelizmente o Brasil é o segundo país com mais casos de cyberbullying no mundo. Cerca de 30% dos pais e responsáveis brasileiros, afirmam terem tido conhecimento de pelo menos um caso em que o filho ou a filha foi vítima de bullying.

    Fonte: Unesco

    Especialistas respondem

    Consequências do Bullying

    Para a psicóloga Márcia Cristina Soares de Oliveira, as consequências do bullying são inúmeras, como, isolamento, repulsa aos ambientes em que o bullying ocorreu dificuldades de aprendizagem e desmotivação para estudar, problemas de relacionamentos, depressão e desinteresse pela vida.

    Leia Mais

    Como superar o bullying?

    A psicóloga Márcia Cristina recomenda que a pessoa busque ajuda para conseguir encontrar nela mesma os traumas vivenciados a fim de eliminá-los. E esse exercício vai muito além do bullying sofrido.


    Leia Mais

    Consequências do bullying?

    As consequências são inúmeras. Tudo depende de como a pessoa interpreta e vivencia o ocorrido. Dessa forma, o bullying pode acarretar uma série de doenças graves.

    X

    Para a psicóloga Márcia Cristina Soares de Oliveira, as consequências do bullying são inúmeras, como, isolamento, repulsa aos ambientes em que o bullying ocorreu - como a turma de amigos, a escola - dificuldades de aprendizagem e desmotivação para estudar, problemas de relacionamentos, depressão e desinteresse pela vida.

    A psicóloga ainda ressalta que uma coisa leva a outra. Problemas na escola e dificuldades de aprendizagem podem desencadear doenças no sistema digestivo como gastrite e refluxo; problemas sérios de relacionamentos com as pessoas mais próximas do dia-a-dia levam a problemas cardíacos. Quando a essência da pessoa é abalada, ela pode desenvolver doenças no sistema endócrino e depressão. Além disso, a sensação de ser invadido e desrespeitado causa traumas que podem gerar problemas imunológicos e viroses. Algumas pessoas podem apresentar a perda de sentido pela vida e, estudos indicam que isso pode levar a doenças mais graves, como por exemplo, o câncer. Tudo depende de como a pessoa interpreta o ocorrido e como ela vivencia o fato.

    Fechar

    Sobre a Marcia Cristina

    Márcia Cristina Soares de Oliveira, Psicóloga, Mestra em Saúde Coletiva na área de Ciências Sociais em Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas – Unicamp, Coach, Terapeuta, Professora e Pesquisadora em Homeostase Quântica informacional.

    Contato: mcs.oliveira14@gmail.com

    Fone: (19) 99114-0363

    Como superar o bullying?

    Busque ajuda com um profissional

    X

    A psicóloga Márcia Cristina recomenda que a pessoa busque ajuda para conseguir encontrar nela mesma os traumas vivenciados a fim de eliminá-los. E esse exercício vai muito além do bullying sofrido. É importante identificar os momentos e fatos anteriores ao bullying em que os sentimentos negativos se manifestaram pela primeira vez e em que as crenças e os condicionamentos limitantes foram sendo construídos e armazenados. Para ela, o mais importante na superação do bullying é eliminar as informações negativas. “Se eu mantenho mais informações positivas do que negativas, a minha realidade será mais positiva. E, se eu for capaz de estabilizar essas informações positivas, eu sou capaz de manter minha realidade sempre estável no positivo.” Infelizmente essa não é uma tarefa fácil. Por isso, não deixe de buscar ajuda com um profissional que saberá identificar a melhor maneira de te ajudar.

    Fechar

    Sobre a Marcia Cristina

    Márcia Cristina Soares de Oliveira, Psicóloga, Mestra em Saúde Coletiva na área de Ciências Sociais em Saúde pela Faculdade de Ciências Médicas – Unicamp, Coach, Terapeuta, Professora e Pesquisadora em Homeostase Quântica informacional.

    Contato: mcs.oliveira14@gmail.com

    Fone: (19) 99114-0363

    Combata o Bullying

    Se você ver uma pessoa sendo vítima de bullying, tome uma posição! Não fazer nada só encoraja quem faz bullying continuar fazendo. A melhor atitude que você pode ter para impedir o bullying é tomar uma posição contra ele.
    Se você não conseguir impedir, apoie a pessoa que está sendo intimidada. Ofereça ajuda, ouça e seja gentil. Jamais dê atenção à pessoa que está fazendo bullying. E, o mais importante, incentive a denúncia do bullying. No caso de crianças e adolescentes, procure um adulto de confiança para contar toda a situação. E, no ambiente corporativo, procure pelo gestor e exponha o problema. É dever de um bom gestor intervir o mais rápido possível para combater a prática.