síndrome do olho seco

Síndrome do olho seco: causas, sintomas e tratamentos

Este post foi atualizado em 17 dezembro, 2020

A síndrome do olho seco acontece quando existe pouca ou nenhuma produção de lágrimas.

A diminuição da produção de lágrimas faz com que exista um atrito entre a córnea e a pálpebra, além de provocar o ressecamento dos olhos.

Os sintomas mais comuns variam entre uma irritação sutil, até uma inflamação maior na superfície dos olhos.

Entretanto, é possível evitar que a síndrome do olho seco aconteça, mantendo os olhos constantemente hidratados.

Nossos olhos já fazem isso naturalmente, mas, muitas vezes, alguns fatores atrapalham.

É o caso da deficiência de produção da própria lágrima, ou ainda algumas doenças dos olhos, poluição e excesso de luz solar e ar condicionado.

Veja como a síndrome do olho seco age dentro dos nossos olhos, os sintomas e tratamentos. 

Sintomas da síndrome do olho seco

O sintoma mais comum da síndrome do olho seco é a ardência nos olhos.

Mas, além disso, é preciso se atentar a outros sintomas:

  • Coceira
  • Olhos vermelhos
  • Sensações dolorosas
  • Olhos pesados
  • Dor nos olhos
  • Visão embaçada (e só melhora depois de piscar algumas vezes)
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)

síndrome do olho seco

Outro sintoma comum é o famoso cisco nos olhos – a sensação de algum corpo estranho dentro dos olhos.

E, por mais estranho que pareça, os olhos lacrimejantes também podem ser um sintoma da síndrome do olho seco.

Isso acontece porque o ressecamento na superfície do olho, às vezes, acaba por estimular ainda mais a produção de lágrima para os olhos.

Causas

Os fatores que podem levar à síndrome do olho seco são: 

  • Falta de produção lacrimal: existem casos em que a pessoa não produz lágrimas suficientes para manter os olhos lubrificados, ou faltam no organismo dela nutrientes que evitem o surgimento do olho seco. Quanto a isso, é preciso ingerir alguns alimentos que auxiliem na lubrificação dos olhos e protejam a nossa visão – listamos todos eles para você neste artigo.
  • Fatores ambientais: ar condicionado, vento, clima quente e seco, ventilador.
  • Lesões oculares/doenças: conjuntivite (ou cirurgias como a de miopia) podem danificar a produção de lágrima nos olhos.
  • Medicamentos como antialérgicos, anti-hipertensivos, anti-inflamatórios e psicotrópicos também podem desequilibrar a produção da lágrima, segundo a Revista Saúde.

Além disso, doenças autoimunes como a síndrome de Sjögren, afeta a produção das glândulas lacrimais e até salivares.

Diagnóstico 

O diagnóstico da Síndrome do olho seco é feito através de exames e testes que detectam a causa do problema. 

Entre os procedimentos mais comuns estão:

  • Exame de vista abrangente – um exame que inclui o histórico da saúde ocular e geral do paciente 
  • Teste de Schirmer – teste para medir a produção de lágrimas. Para isso, o médico coloca tiras de papel absorvente nas pálpebras inferiores.
  • Teste do fio vermelho de fenol – neste teste, coloca-se um fio revestido com uma tinta sensível ao pH da lágrima na pálpebra inferior do paciente. Assim é possível medir o volume de lágrimas.
  • Teste para determinar a qualidade de suas lágrimas – com corantes especiais aplicados em colírios, o médico procura padrões de coloração nas córneas e calcula o tempo de evaporação das lágrimas.
  • Teste de osmolaridade da lágrima – este tipo de teste mede a composição de partículas e água em suas lágrimas.

Tratamento

Veja alguns dos tratamentos mais comuns para os olhos secos:

  • Uso de colírios: deve ser prescrito pelo seu oftalmologista, pois a partir do diagnóstico ele pode indicar o colírio ideal para o problema que está te afetando. Com o uso do medicamente, é possível aliviar ou até mesmo eliminar os sintomas, sem sofrer com efeitos reversos.
  • Uso de lentes de contato: são lentes especiais que oferecem a mesma proteção das lágrimas à córnea, evitando os efeitos do atrito com a pálpebra, conversando a lágrima por uma quantidade maior de tempo.
  • Drenagem de lágrimas: consiste no fechamento de um ou mais dutos lacrimais, que drenam as lágrimas, para evitar sua perda. O procedimento é realizado com plugs de silicone.

É de extrema importância fazer visitas frequentes ao oftalmologista, pois a síndrome do olho seco também pode ser um sinal de que você vai precisar usar óculos de grau.

Veja aqui como saber se você precisa usar óculos.

Remédios caseiros para olhos secos 

Além do uso de colírios e lágrimas artificiais, você pode cuidar dos olhos secos em casa, com produtos que ajudam a higienizar e lubrificar seus olhos. 

Segundo a oftalmologista Helena de Oliveira, em uma reportagem da Revista Saúde, é importante também lavar as mãos e os punhos antes de limpar os olhos:

“Já nos olhos, use gaze, algodão ou lenços específicos e faça movimentos leves e circulares, sempre massageando a borda da pálpebra”.

Outra dica é, na hora do banho, lavar os cílios e sobrancelhas com xampu infantil. Manter os olhos limpos ajuda a hidratá-los e também evita outros problemas, como infecções e alergias.

Quando ir ao médico?

Você deve procurar ajuda médica quando estiver com sinais e sintomas de olhos secos há bastante dias, além de olhos vermelhos e irritados ou mesmo doloridos.

Somente um médico de confiança pode te dizer o que está causando essa condição em seus olhos. Por isso, não deixe de marcar uma consulta se isso tiver te incomodando.

Complicações

Quem tem olhos secos e não faz o tratamento adequado, pode apresentar algumas complicações, como:

  • Infecção nos olhos: As lágrimas são responsáveis por proteger nossos olhos de infecções. Quando produzidas em pequena quantidade, as chances de desenvolvermos infecção nos nossos olhos aumentam.
  • Danos na superfície dos olhos. Se não for tratada, a secura severa dos olhos pode causar inflamação ocular, abrasão da superfície da córnea, úlceras da córnea e até mesmo perda de visão.
  • Diminuição da qualidade de vida. Olhos secos podem dificultar a realização de atividades cotidianas, como ler, usar computadores, tablets, costurar, escrever, entre outras atividades.

Fatores de risco

Existem alguns fatores que aumentam a chance de ter olhos secos.

Pessoas com mais de 50 anos e mulheres, por exemplo, estão mais propensas a apresentar essa condição.

Isso porque a produção de lágrimas diminui com o passar do tempo e é impactada por alterações hormonais, como menopausa, gravidez ou uso de pílulas anticoncepcionais. 

A deficiência de vitamina A e ômega 3 também eleva a possibilidade de ter olhos secos.

Por isso, quem não tem o costume de comer alimentos como fígado, cenouras, brócolis, peixes, nozes e óleos vegetais tem mais chance de desenvolver a síndrome.

Usar lentes de contato ou já ter feito alguma cirurgia refrativa também são considerados fatores de risco.

Como prevenir os olhos secos 

Além das formas de tratamento que vimos, existem formas de evitar a síndrome do olho seco – e vamos te ensinar agora! Olha só:

  • Regra 20-20-20: sentiu o olho secar, incomodar ou arder? Então, a cada 20 minutos, tire 20 segundos para piscar e captar luz natural.
  • Evite uso contínuo de celular ou computador: a tendência é piscar menos ao utilizar esses aparelhos eletrônicos, o que leva a uma maior evaporação das lágrimas e aumento do risco de sintomas de olho seco.
  • Uso de lentes de contato: não é recomendado que as lentes substituam o uso dos óculos. Intercale o uso, pois as lentes de contato dificultam o fluxo de oxigênio na córnea, deixando o olho seco e irritado.
  • Alimentos que ajudam no olho seco: os melhores alimentos são aqueles ricos em ômega-3: peixes, ovo, brócolis, linhaça e couve.

Além desses alimentos, temos uma tabela com todas as vitaminas necessárias para a saúde dos olhos! Clique e confira. 

Olhos secos tem cura?

A síndrome do olho seco não tem cura. Mas existem diversas formas eficazes de tratar a condição e viver bem, sem os incômodos característicos do problema.

Você está com os olhos secos?

Ter olhos secos é mais comum do que se pode imaginar.

Por isso, é muito importante fazer visitas ao oftalmologista, pois ele pode tirar o diagnóstico da presença ou gravidade da síndrome dos olhos secos.

Até porque, os níveis podem variar de pessoa para pessoa.

Outro fator importante é manter o cuidado com os olhosExistem hábitos simples que criamos no nosso dia a dia que provocam com maior facilidade o olho seco.

Quer um exemplo? Usar frequentemente o celular ou ficar com o ventilador ligado no rosto (principalmente na época do verão!).

Além disso, até mesmo nossa alimentação pode influenciar. 

Isso porque existem nutrientes fundamentais que ajudam a manter nossos olhos saudáveis e em perfeito estado.

Dessa forma, facilitamos também a produção de lágrimas e mantemos a nossa saúde completa!

Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente aqui nos comentários. 

Síndrome do olho seco

Fontes: Mayo Clinic

WebMD

American Academy of Ophthalmology

Revista Saúde



Comentários

  1. Gostei da matéria e da dicas.tenho olho seco,e também rachaduras nos cantos externos. Sobre isso vocês não falaram nada. Gostaria de saber por que isso acontece. Obrigada

    1. Oi, Alzira! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo comentário 🙂 Ficamos muito contentes em saber que o artigo foi esclarecedor 🙂

      Quem pode te ajudar com mais propriedade no assunto é o seu médico especialista. Converse com o profissional e relate os desconfortos que tem enfrentado com sua visão e, principalmente, o que tem te incomodado. Ele é o profissional mais apto para passar as melhores orientações e fazer um diagnóstico eficiente.
      Quando puder, agende uma consulta com o médico para que ele faça uma avaliação e prescreva o melhor tratamento para você.
      Sempre que precisar, pode contar com a Lenscope: https://lenscope.com.br/! 😊

  2. Parabéns pelo artigo. Tenho os olhos secos e vou frequentemente ao oftalmologista. Mesmo quando relato a dor nos olhos durante a consulta, os médicos ignoram essa queixa. Quase nenhum site que eu já havia pesquisado indica dor ou desconforto nos olhos como um dos sintomas e isso encontrei aqui. Ler que esse é um dos sintomas de olhos secos me aliviou bastante.
    Muito obrigada.

    1. Oi, Águeda! Tudo bem?

      Muito obrigada pelas palavras e por ler nosso artigo 🙂

      Ficamos muito contentes em saber conseguimos te ajudar com essas informações. Continue fazendo acompanhamento médico para que o profissional possa sempre te orientar no que é o melhor a se fazer. E se precisar de ajuda para lentes de óculos, pode contar com a Lenscope: https://lenscope.com.br/ 😊

    1. Oi, Luiz! Tudo bom?

      Obrigada por ler nosso artigo 🙂

      Você já realizou uma nova consulta com seu médico oftalmologista?
      Somente esse profissional que consegue te ajudar com maior propriedade em relação aos sintomas e melhor diagnóstico para você.

      Quando puder, agende uma consulta o mais rápido possível para prosseguir com o tratamento recomendado por ele 😊

    1. Oi, Deth! Tudo bem?

      Obrigada por deixar o seu comentário 🙂

      Você já passou pelo oftalmo ou algum médico relacionado a saúde dos olhos?
      O mais indicado é você ir ao médico e contar tudo o que está sentindo. Assim, ele pode fazer um diagnóstico completo de sua visão e das dificuldades que está enfrentando para enxergar.

      Sempre que precisar, conte com a gente! 😊

    1. Olá, Maria! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo comentário 🙂 Ficamos contentes que o artigo tenha sido esclarecedor para você! Continue acompanhando as postagens do blog da Lenscope para continuar cuidando da saúde dos seus olhos! Um abraço! 😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lenscope

Nós utilizamos a tecnologia a nosso favor e oferecemos uma experiência inovadora para você comprar as lentes para seus óculos sem sair de casa! E o melhor de tudo? Podendo ter as melhores lentes do mercado sem gastar uma fortuna para isso.

Pin It on Pinterest