Efeitos colaterais de antidepressivos: aumento no uso dos medicamentos pode antecipar catarata

0
(0)

Como o próprio nome sugere, antidepressivos são os medicamentos usados no tratamento da depressão. 

Assim como outros medicamentos controlados, o antidepressivo possui efeitos colaterais que precisam ser acompanhados de perto. No entanto, o que nem todo mundo sabe é que esse tipo de medicamento pode impactar também a saúde ocular do paciente. No artigo de hoje vamos falar sobre o uso prolongado de antidepressivos e sua relação com a catarata. Então continue a leitura para saber mais sobre o assunto.

O que são antidepressivos?

Os antidepressivos são medicamentos que combatem a depressão crônica. Além disso, eles também podem ser usados ​​para tratar uma série de outras condições, incluindo:

  • Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)
  • Transtorno de ansiedade generalizada
  • Transtorno de estresse pós-traumático (PTSD)
  • Transtorno afetivo sazonal
  • Distimia 

Em alguns casos, os antidepressivos também são usados ​​para tratar pessoas com dores crônicas de longa duração.

Os antidepressivos podem ser divididos em 6 tipos principais:

  • Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS)
  • Inibidores seletivos da recaptação da serotonina e da noradrenalina (ISRSN ou SNRI)
  • Antidepressivos tricíclicos (TCAs)
  • Inibidores da monoamina oxidase (IMAO)
  • Noradrenalina e antidepressivos serotoninérgicos específicos (NASSAs)

Quais são os efeitos colaterais de antidepressivos?

O uso de antidepressivos pode causar  efeitos colaterais, principalmente no início do tratamento. No entanto, as reações costumam melhorar com o tempo. Porém, mesmo com os efeitos colaterais, é de extrema importância continuar o tratamento e em hipótese alguma parar de tomar o medicamento por conta. Você também pode obter mais informações sobre seu medicamento específico consultando a bula dele.

Cada tipo de antidepressivo possui efeitos colaterais próprios. Por exemplo, os principais efeitos dos antidepressivos ISRSN ou SNRI podem incluir:

  • Agitação
  • Indigestão e dores de estômago
  • Diarreia ou prisão de ventre
  • Perda de apetite 
  • Tontura
  • Insônia ou sonolência
  • Cefaléia
  • Baixo desejo sexual
  • Dificuldades para alcançar o orgasmo durante o sexo ou masturbação

Esses efeitos colaterais devem melhorar dentro de algumas semanas, embora alguns possam ocasionalmente persistir. Já quem toma antidepressivos tricíclicos (TCAs) pode sentir outras reações, como:

  • Boca seca
  • Leve embaçamento da visão
  • Constipação
  • Incontinência urinária
  • Sonolência
  • Tontura
  • Ganho de peso
  • Suor excessivo
  • Taquicardia

Potenciais riscos à saúde

Embora incomuns, em alguns casos o uso prolongado de antidepressivos pode desencadear problemas mais sérios.

Síndrome de serotonina

A síndrome da serotonina ocorre quando os níveis de serotonina no cérebro se tornam muito altos. Geralmente esse quadro se desencadeia quando o antidepressivo é usado em combinação com outro medicamento ou substância que também aumenta os níveis de serotonina.

Os sintomas da síndrome da serotonina podem incluir:

  • Confusão
  • Agitação
  • Contração muscular
  • Transpiração
  • Tremor
  • Diarreia

Hiponatremia

Idosos que tomam antidepressivos, particularmente aqueles que tomam ISRIs, podem sofrer uma queda severa nos níveis de sódio, conhecido como hiponatremia. Esse quadro pode levar a um acúmulo de fluido dentro das células do corpo, o que pode ser potencialmente perigoso.

Isso acontece porque esse tipo de antidepressivo bloqueia os efeitos do hormônio que regula os níveis de sódio e fluido no corpo. 

Hiponatremia leve pode causar sintomas semelhantes à depressão ou efeitos colaterais de antidepressivos, como:

  • Dor de cabeça
  • Dor muscular
  • Falta de apetite 
  • Confusão

Diabetes

 

O uso a longo prazo de antidepressivos pode estar associado a um risco de desenvolver diabetes tipo 2.

A hipótese se baseia no ganho de peso que alguns pacientes apresentam por tomar antidepressivos.

No entanto, ainda não há comprovação de que o uso de antidepressivos cause diabetes diretamente.

Pensamentos suicidas

Em casos raros, algumas pessoas experimentam pensamentos suicidas e um desejo de automutilação quando tomam antidepressivos pela primeira vez. Esse tipo de efeito colateral é sentido principalmente por jovens com menos de 25 anos. Os pensamentos suicidas também podem ter sinais de alerta, entre eles:

  • Mudanças extremas de humor
  • Insônia ou sono extremo
  • Abuso de drogas ou álcool
  • Falar assuntos sobre morte ou se matar
  • Isolamento social
  • Mudanças incomuns no comportamento
  • Falta de esperança
  • Qualquer sintoma de depressão piorando

Efeitos colaterais de antidepressivos: uso pode antecipar catarata

Estudos recentes indicam que a lente do olho tem receptores de serotonina que ativam funções celulares. Testes feitos em animais mostraram que a serotonina pode tornar a lente do olho mais opaca e levar à catarata.

Porém, se confirmado, os antidepressivos ISRS não seriam o primeiro medicamento a aumentar o risco de catarata. Esteroides orais e inalados e beta-bloqueadores também foram ligados à formação de catarata.

O oftalmologista Dr. Leôncio Queiroz Neto também afirma que um dos efeitos colaterais do uso de antidepressivos é a antecipação da catarata.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de British Columbia com 200 mil moradores de Quebec com 65 anos ou mais descobriu que a chance de diagnosticar catarata em pacientes que tomam antidepressivo varia de 15% a 51% conforme o tipo de substância de cada ISRS.

Cresce consumo de antidepressivos durante a pandemia

Um levantamento do Conselho Federal de Farmácia apontou um aumento significativo das vendas de antidepressivos em 2020. Foram praticamente 100 milhões de caixas de medicamentos controlados vendidas durante o ano, 17% a mais do que em 2019.

Tais dados do CRF apenas confirmam dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os quais mostram que o Brasil é o país com maior número de casos de depressão na América Latina. 

No entanto, já era de se esperar que a pandemia abalaria a saúde mental do brasileiro. Além da preocupação com a COVID-19, especialistas afirmam que o aumento no uso de medicamentos controlados também pode estar ligado ao desenvolvimento socioeconômico do país. 

Assim, fatores como o desemprego, a incidência de mortes pela Covid-19 e o isolamento social na quarentena aumentaram a ansiedade da população. Segundo o psiquiatra e pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) Márcio Bernik, pacientes com sintomas de depressão e ansiedade deixaram de procurar ajuda na pandemia para iniciar o tratamento, agravando ainda mais o quadro.

Esteja sempre atento ao uso de medicamentos!

O uso de medicamentos requer acompanhamento médico periódico. Portanto, se você faz uso de antidepressivos, não se esqueça de sempre consultar seu médico de confiança. Da mesma forma, assim como a saúde mental, também é importante cuidar da saúde ocular marcando consultas regulares com o oftalmologista.

Nós da Lenscope somos uma health tech e temo por missão levar informações sobre saúde visual e lentes de óculos acessíveis para o maior número de pessoas possível. Assim, contamos com um modelo de negócios 100% online, para que você possa cuidar dos seus olhos de forma prática e se pagar a mais por isso.

Pensando nisso, desenvolvemos uma ferramenta que analisa se você possui algum desvio ocular.

Faça agora mesmo um teste de visão online e gratuito.

Efeitos colaterais de antidepressivos - teste de visão

E para saber mais sobre saúde visual, inscreva-se agora mesmo em nossa newsletter.

Fonte:

The Guardian

Ever North

Harvard

NHS

Medical News Today

Web MD

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *