Luz Azul

Luz Azul: faz bem ou faz mal?

5
(2)

A luz azul está presente em tudo o que nos cerca: na luz do sol, quando acendemos uma lâmpada dentro de casa, quando usamos o celular, o computador…

Só que muita gente não sabe que ela pode tanto fazer bem quanto fazer mal à nossa visão. Você sabia que ao mesmo tempo que ela pode nos ajudar a ter mais disposição no dia a dia, ela também pode causar insônia e noites mal dormidas?

Mas, como? É o que vamos explicar nesse artigo para você. Vamos lá?

O que é a luz azul? (blue light)?

Não vamos entrar em detalhes científicos. Mas, é importante entender como funciona a sensibilidade dos nossos olhos para luzes visíveis e não visíveis.

A luz do sol, por exemplo, é composta pelas luzes azul, vermelha, laranja, amarela, verde e violeta. Quando misturamos todas essas cores, temos a luz na cor branca que é a luz que enxergamos.

Veja abaixo o resultado dessa mistura de cores

 

Em relação à luz azul, ela faz parte do intervalo do espectro de luz visível, ou seja, da luz branca que enxergamos e possui comprimento de onda situado entre 400 e 450 nm. 

A luz azul pode ser divida em dois tipos:

  • Luz azul turquesa – que nos faz bem
  • Luz azul violeta – que faz mal

Veja a seguir as principais diferenças entre elas:

Benefícios da luz azul e a luz azul turquesa

A luz azul turquesa é a luz azul boa para os nossos olhos e é emitida pelos raios solares.

A luz azul boa contribui para a produção da vitamina D para o nosso corpo, além de favorecer a regulação do nosso ciclo circadiano, que nada mais é que o ciclo de sono natural do nosso corpo, onde a variação de luz influencia no nosso comportamento ao longo do dia ou da noite.

Ou seja, a exposição à luz azul durante o dia ajuda a manter o ciclo de sono saudável.

Quando estamos expostos à luz azul natural (a luz do Sol), nosso corpo também libera hormônios. Um destes hormônios é a serotonina, responsável pela sensação de felicidade e bem-estar. 

Dessa forma, quando a serotonina é liberada, nos sentimos mais ativos e dispostos.

Malefício da luz azul e a luz azul violeta

Já a luz azul violeta é a luz prejudicial aos olhos e é emitida por aparelhos eletrônicos como smartphones, computadores, tablets, TV, lâmpadas LED, entre outros.

Essa luz pode trazer danos sérios a nossa visão e ao nosso sono. Isso acontece porque a luz azul violeta bloqueia a nossa produção do hormônio de melatonina. Esse hormônio é responsável por passar a mensagem para nosso corpo de que é hora de dormir.

Então, quando usamos o celular antes de dormir ou ficamos mexendo no computador ou em qualquer outra tela digital, nós passamos a mensagem para nosso corpo que ainda é dia e isso pode impedir que tenhamos uma boa noite de sono. Consequentemente, outros problemas como a insônia, por exemplo, podem aparecer.

Luz azul

A luz azul turquesa faz bem para o sono e a luz azul violeta é prejudicial aos olhos quando em excesso, como uso do celular

Onde a luz azul está presente?

A luz azul está presente em ambientes internos e externos. Ou seja, ela está presente  na luz do sol e até mesmo dentro de nossas casas quando uma luz de LED está acesa. 

Porém, a superexposição ao excesso de luz azul violeta pode causar danos ao nosso organismo de maneira geral, mas especialmente à nossa visão, uma vez que também afeta as camadas mais profundas dos nossos olhos, como o cristalino e a córnea a partir dos raios UVA e UVB.

Luz Azul

Os raios UVA atingem diretamente no fundo da retina, enquanto os raios UVB afetam a córnea e o cristalino

 

E a luz azul violeta está presente especialmente nos celulares, computadores, tablets e demais dispositivos eletrônicos.

Esses aparelhos possuem a luz de LED (diodos emissores de luz), que contém uma maior quantidade de luz azul violeta do que as lâmpadas mais comuns. Como cada vez mais estamos usando esses aparelhos, a chance de desenvolver problemas mais graves na visão é muito maior. 

Luz Azul

Luz azul que faz mal aos olhos

 

Por isso, é importante ficar atento e usar óculos com proteção UV (tanto óculos de grau como óculos de sol). Isso porque o óculos com proteção UV bloqueia os raios nocivos, protegendo a saúde dos seus olhos.

Além disso, para quem está sempre usando os aparelhos digitais, é recomendado o uso de lentes para óculos com filtro de luz azul que protegem os olhos da luz azul violeta, a luz azul mais prejudicial aos nossos olhos. 

E a exposição à luz azul durante a quarentena?

Os novos desafios trazidos pela pandemia Covid-19 estão presentes em todos os aspectos de nossas vidas.

Ao colocar nossa saúde e daqueles próximos a nós em primeiro lugar, muitos de nós temos passado mais tempo em casa trabalhando em home-ffice ou mesmo estudando. O fato é que temos estado ainda mais dependentes de nossos notebooks, computadores, tablets e smartphones.

Estudos indicam que nos EUA, o consumo de mídia eletrônica aumentou 60% desde o início das medidas de isolamento social para combate ao Covid-19.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, o tempo gasto à frente de telas digitais aumentou em 30%, de 10:09 para 13:28 horas.

Em crianças em idade escolar o aumento verificado foi ainda maior, com uso de aparelhos eletrônicos 50% superior ao mesmo período do ano passado.

O aumento desse tempo despendido no celular ou em nossos laptops têm como consequência uma exposição muito maior de nossos olhos à luz azul.

Assim, a consequência de nossa maior exposição são sintomas como dor de cabeça, irritação nos olhos, olhos secos e dificuldade em dormir, como vamos ver a seguir.

Luz azul faz mal?

Sim, mas apenas a luz azul violeta.

Sim, mas apenas a luz azul violeta.

A luz azul turquesa traz benefícios a nossa saúde, já a luz azul violeta causa a fadiga ocular e é nociva aos olhos.

Você deve estar se perguntando por que isso acontece, né?

Cada uma das cores que conseguimos enxergar possui uma energia e um comprimento de onda específico e diferente entre elas.

Podemos dizer que quanto maior for o comprimento de onda da luz que está sendo emitida, menor será a fadiga ocular que você pode ter.

Quanto menor for o comprimento da onda, maior será a fadiga ocular.

Luz azul

Referência de tabela: Carl Zeiss

 

A luz azul está localizada na faixa de comprimento de onda de 380 a 500 nm.

De acordo com cientistas, a luz azul prejudicial aos nossos olhos (a luz violeta) está localizada no comprimento de onda de 415 a 455nm. 

O que contribui para o surgimento de danos permanentes na retina e a degeneração macular (DMRI).

Por isso, é importante usar lentes de óculos que filtrae a luz azul. Essas lentes filtram apenas a luz azul prejudicial aos olhos.

Ou seja, a luz azul violeta. E fique atento: bloquear toda luz azul pode gerar fraqueza visual.

Sintomas ou efeitos da exposição a luz azul

Veja a seguir os sintomas que a longa exposição à luz azul violeta pode causar em nossos olhos e organismo.

Fadiga ocular

Fadiga ocular é o excesso de exposição dos olhos a uma condição que pode afetar o seu bem estar. Os sintomas mais comuns são dores de cabeça, lacrimejamento dos olhos, ardência nos olhos e sentir a visão um pouco embaçada.

O que causa a fadiga ocular, normalmente, é o excesso de iluminação emitidos por aparelhos celulares ou computadores.

Fadiga ocular noturna

Já a fadiga noturna, como o próprio nome diz, é causada no período da noite.

Ela surge devido ao uso de aparelhos como smartphones ou computadores. Normalmente, quem tem dificuldade em pegar no sono, acaba usando esses tipos de aparelhos eletrônicos logo antes de dormir.

O problema é que a luz emitida por esses aparelhos é a luz azul violeta e, quando usada à noite, ela bloqueia a produção do hormônio de melatonina, que ajuda a regular o momento de dormir. Dessa forma, surge a insônia e as noites mal dormidas.

Luz azul e o sono

Embora a luz emitida em qualquer espectro visível tenha a capacidade de suprimir a secreção de melatonina, a luz azul, sobretudo à noite, tem um efeito ainda mais potente.

Pesquisadores da Universidade de Harvard conduziram experimentos comparando o efeito de uma exposição de 6,5 horas à luz azul a uma exposição similar à luz verde.

A luz azul comprovou-se 2x mais danosa, suprimindo a melatonina por 3 horas, comparada a supressão de 1,5 hora causada pela luz verde.

Outro estudo da Universidade de Toronto, comparou os níveis de melatonina de pessoas que usavam óculos com lentes que bloqueiam a luz azul – também conhecidas como lentes blue block – expostas a uma luz intensa em ambiente interno a outro grupo de pessoas expostas apenas a uma luz difusa sem o uso de qualquer tipo de óculos.

Este estudo atestou que os níveis de melatonina em ambos os grupos era similar, provando que a luz azul é um poderoso supressor de melatonina.

Este mesmo estudo também sugere que o uso de lentes que filtram a luz azul pode proteger-nos dos efeitos nocivos da luz azul ao sono.

Luz azul e caratara

A luz azul pode ter um efeito ainda mais nocivo para quem operou a catarata. 

O cristalino, a lente interna natural de nosso olho, bloqueia praticamente 100% dos raios UV. Conforme envelhecemos, essa lente natural pode se tornar opaca. Essa condição é conhecida como catarata.

Tratamento comum para solucionar o problema, a cirurgia de catarata remove o cristalino opaco e o substitui por uma lente artificial. 

Entretanto, a substituição de nossas lentes naturais por esses implantes intra-oculares (IOL) aumenta a exposição de nossa retina a diversos espectros de luz e ao risco da luz azul.

Estudos recentes têm indicado por exemplo que alguns indivíduos que realizaram a cirurgia de catarata e que tiveram grande exposição a fontes de luz LED tiveram lesões na retina induzidas por stress oxidativo. 

Lente que filtra a luz azul

Por isso, cada vez mais, profissionais da saúde recomendam a proteção dos olhos contra os raios nocivos aos olhos. Por isso, existem lentes para óculos que contam com a tecnologia de proteção contra luz azul.

Você pode encontrar essas lentes pelo nome de Blue Light e são elas que filtram a luz azul violeta prejudicial aos nossos olhos, impedindo que ela chegue na retina. 

Aliás, essas lentes são feitas para quem passa muito tempo usando celulares, computadores ou TV ‘s. Principalmente para quem passa muito tempo em ambientes internos e está sempre em contato com telas LED ou LCD.

As lentes bloqueiam a luz que é nociva aos olhos, deixando passar apenas a luz azul que nos faz bem.

As lentes com esse filtro costumam acompanhar outros tratamentos. Os principais tratamentos são:  antirreflexo, antirrisco e, algumas versões mais completas, contam com camadas hidrorrepelentes e liporrepelentes que facilitam a limpeza das lentes.

 

Veja aqui as lentes que filtram a luz azul da Lenscope para até 4 graus: Digital Comfort.

E conheça as lentes de resina mais finas do mundo com filtro de luz azul.

Luz azul

Lentes que filtram a luz azul nociva aos olhos

 

Compare aqui os preços de todos os óculos com filtro de luz azul para quem tem até 4 graus.

Outras maneiras de se proteger da Luz Azul

Veja dicas PRÁTICAS para evitar a agressão e os efeitos da luz azul na nossa visão! Olha só:

Tente colocar em prática essas dicas hoje mesmo, tá? E lembre-se sempre: não há nada mais importante do que a saúde dos seus olhos.

Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar com a gente uma ideia ou sugestão? Então, deixa aqui nos comentários que já já te respondemos!

Luz Azul

Fontes:  Health Harvard 

International Review of Ophthalmic Optics

American Academy of Ophthalmology

The Stanford Daily – The Physical effects of quarantine

Eye safe

Prevent Blindness

US National Library of Medicine Nacional Institutes of Health

US National Library of Medicine Nacional Institutes of Health

Healthline

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Loading comments...