glaucoma

Glaucoma: sintomas, fatores de risco e tratamentos

0
(0)

Glaucoma é uma doença ocular causada pelo aumento da pressão de dentro do olho. Com o tempo, a pressão intraocular pode comprometer o nervo óptico, responsável por fornecer informações visuais ao cérebro.

Infelizmente a doença não costuma apresentar sinais, fazendo com que muitas pessoas demorem para buscar ajuda médica.

Quando não tratado, o glaucoma pode levar à perda de visão e à cegueira. Por isso, o ideal é fazer exames oculares periodicamente para conseguir um diagnóstico precoce.

Apesar de poder ocorrer em qualquer idade, o glaucoma é mais comum em idosos. Dessa forma, trata-se de uma das principais causas de cegueira em pessoas com mais de 60 anos. 

Quais são os sinais de glaucoma?

O tipo mais comum de glaucoma é aquele que não apresenta sinais, chamado de glaucoma de ângulo aberto primário. 

No entanto, existe um outro tipo de glaucoma considerado uma emergência médica. Trata-se do Glaucoma de fechamento de ângulo agudo, conhecido como glaucoma de ângulo estreito, que causa:

Causas do Glaucoma

A principal causa do glaucoma é o bloqueio dos canais da córnea e íris responsáveis por liberar o fluido dos olhos.

O acúmulo desse fluido é o que aumenta a pressão intraocular, danificando também o nervo óptico.

Com o tempo, o nervo óptico danificado pode levar à perda de visão.

No entanto, nem sempre é possível identificar o que faz com que a pressão nos olhos aumente.

Além da drenagem bloqueada, outros fatores que podem aumentar a pressão intraocular são:

  • Colírios
  • Medicamentos, como corticoides
  • Fluxo sanguíneo ruim ou reduzido para o nervo óptico
  • Pressão arterial alta ou elevada

Em alguns casos, os cientistas identificaram genes relacionados à alta pressão ocular e danos nos nervos ópticos que podem causar o Glaucoma, indicando uma possível causa genética.

Quando ir ao médico?

Procure um médico o quanto antes se você estiver com algum dos sintomas de glaucoma agudo de fechamento de ângulo, como dor de cabeça intensa, dor nos olhos e visão turva.

Tipos de glaucoma

Existem cinco tipos principais de glaucoma. São eles:

Glaucoma de ângulo aberto (crônico)

O glaucoma de ângulo aberto, também conhecido como Glaucoma crônico, não apresenta nenhum sinal a não ser a perda gradual da visão.

Essa perda pode ser tão lenta que sua visão pode sofrer danos irreparáveis antes que quaisquer outros sinais se tornem aparentes. 

É considerado o tipo mais comum de glaucoma de acordo com o Instituto Nacional de Olhos (NEI).

Glaucoma de fechamento de ângulo (agudo)

Quando o fluxo do fluido dos olhos é subitamente bloqueado, o rápido acúmulo de fluido pode causar um aumento severo, rápido e doloroso na pressão ocular.

Dessa forma, é considerado uma situação de emergência. Por isso, ao sentir sintomas como dor intensa, náusea e visão turva, não deixe de procurar um médico. 

Glaucoma congênito

Ocorre quando a criança nasce com a doença por causa de um defeito no ângulo do olho que retarda ou impede a drenagem normal de fluidos. 

Geralmente apresenta sintomas como visão embaçada e sensibilidade à luz

Glaucoma secundário

Nesse caso, é um efeito colateral de lesões ou outra condição ocular, como cataratas ou tumores oculares. Medicamentos, como corticoides, também podem causar esse tipo de glaucoma. 

Glaucoma de Tensão Normal

Apesar de raros, existem casos em que as pessoas apresentam danos ao nervo óptico mesmo sem ter aumento da pressão ocular.

A causa disso ainda é desconhecida, mas a sensibilidade extrema ou a falta de fluxo sanguíneo para o nervo óptico podem ser um fator neste tipo da condição.

Diagnóstico

O diagnóstico do Glaucoma é feito através da revisão do histórico médico do paciente e da realização de exames oculares. Os principais testes incluem:

  • Tonometria – medição da pressão intraocular
  • Teste para danos no nervo óptico – com exame ocular dilatado e exames de imagem
  • Teste de campo visual – examina as áreas de perda de visão
  • Paquimetria – medição da espessura da córnea
  • Gonioscopia – verificação do ângulo de drenagem

Tratamento

Infelizmente, não é possível reverter o dano causado pelo glaucoma. No entanto, quando tratado, a perda de visão pode ser evitada, principalmente em casos de diagnóstico precoce.

O tratamento consiste em baixar a pressão intraocular. Isso pode ser feito através do uso de colírios, medicamentos, cirurgia a laser entre outros. 

Confira abaixo as melhores opções de tratamento disponíveis hoje: 

Colírio

O tratamento inicial costuma ser à base de colírios prescritos que ajudam a diminuir a pressão ocular. Também é possível que o médico prescreva mais de um colírio. 

Os colírios mais prescritos para glaucoma são a base de Prostaglandinas, como:

  • Xalatan
  • Travatan
  • Zioptan
  • Lumigan
  • Vyzulta

Os efeitos colaterais podem incluir vermelhidão leve, escurecimento da íris, escurecimento do pigmento dos cílios ou pele das pálpebras, e visão turva. 

Outro colírio bastante prescrito é a pilocarpina. Os efeitos colaterais incluem dor de cabeça, dor nos olhos, pupilas menores, possível visão embaçada ou fraca, e miopia. 

Medicamentos orais

Se apenas o uso de colírios não for suficiente para baixar a pressão dos olhos, o médico  também pode prescrever um medicamento oral. 

O medicamento mais receitado costuma ser um inibidor de anidrato carbônico. Possíveis efeitos colaterais incluem urinação frequente, formigamento nos dedos dos pés, depressão, perturbação estomacal e pedras nos rins.

Tratamento de glaucoma agudo de fechamento de ângulo

Quem é diagnosticado com essa condição precisa de tratamento urgente para reduzir a pressão no olho. O tratamento geralmente consiste em medicação e laser ou outros procedimentos cirúrgicos.

A cirurgia de Glaucoma

Outras opções de tratamento incluem laserterapia e procedimentos cirúrgicos. Esses procedimentos melhoram a drenagem do fluido dentro do olho, diminuindo a pressão intraocular:

  • Terapia a laser – é uma opção para quem tem o do tipo de ângulo aberto. O médico usa um pequeno raio laser para abrir canais entupidos na malha trabecular. 
  • Cirurgia de filtragem – com um procedimento cirúrgico chamado trabeculectomia, o cirurgião abre uma parte da  esclera e remove parte da malha trabecular.
  • Tubos de drenagem – neste procedimento, o cirurgião ocular insere um pequeno tubo no olho para drenar o excesso de líquido para diminuir a pressão dos olhos.
  • Cirurgia de glaucoma minimamente invasiva – esse procedimento geralmente tem um pós-operatório mais tranquilo e apresenta menos risco do que as outras cirurgias.  

Quando o glaucoma pode cegar

Infelizmente, a visão perdida devido à condição não pode ser recuperada. Porém, é possível controlar o aumento da pressão intraocular, retardando ou interrompendo a perda de visão. 

Glaucoma tem cura?

O glaucoma não tem cura, mas existem várias maneiras de abaixar a pressão ocular para diminuir a perda de visão.

Para isso, é importante realizar exames oculares frequentemente e iniciar o tratamento o quanto antes.

Prevenção

Não existe uma maneira conhecida de prevenir o glaucoma, mas o diagnóstico precoce ajuda a minimizar a perda de visão.

Como muitas vezes não há a presença de sintomas, é importante fazer exames de vista frequentemente, especialmente quem é do grupo de risco.

Por isso, idosos, pessoas de ascendência africana ou hispânica, e indivíduos com diabetes devem fazer o teste anualmente após os 35 anos.

Fatores de risco

É considerado grupo de risco para a condição quem tem: 

  • Pressão interna dos olhos alta (pressão intraocular)
  • Mais de 60 anos
  • Ascendência africana, asiática ou ou hispânico
  • Histórico familiar de glaucoma
  • Condições médicas, como diabetes, doenças cardíacas, pressão alta e anemia falciforme
  • Córneas que são finas no centro
  • Alta miopia
  • Lesão ocular ou certos tipos de cirurgia ocular

Estilo de vida e remédios caseiros para controlar a pressão nos olhos

Aqui vão algumas dicas para te ajudar a controlar a pressão intraocular:

  • Tenha uma dieta saudável – Apesar de não impedir que o glaucoma piore, ter uma dieta rica em vitaminas e nutrientes ajuda a melhorar sua saúde ocular. Por isso, consuma alimentos que contenham zinco, cobre, selênio e vitaminas antioxidantes C, E e A.
  • Faça exercícios regularmente – O exercício regular ajuda a reduzir a pressão ocular no tipo de ângulo aberto. 
  • Diminua o consumo de cafeína – O consumo elevado de café e outras bebidas cafeinadas aumentam a pressão dos olhos, então o ideal é evitar esse tipo de substância. 
  • Durma com a cabeça erguida – Usar um travesseiro alto para manter a cabeça ligeiramente erguida, cerca de 20 graus, também ajuda a reduzir a pressão intraocular.

Na consulta médica

Antes da consulta médica, prepare-se para responder perguntas como:

  • Quais sintomas você tem tido e por quanto tempo?
  • Faz uso de algum medicamento, suplementos ou vitaminas?
  • Já teve problemas oculares no passado, como mudanças de visão ou desconforto nos olhos?
  • Alguém da sua família tem essa condição? Se sim, de que tipo?
  • Você teve algum desconforto nos olhos ou problemas de visão?
  • Que testes de rastreamento ocular você fez e quando?
  • Você foi diagnosticado com outras condições médicas?
  • Está usando colírios?

Fatos sobre Glaucoma

  1. Já foi chamado de “ladrão silencioso de visão”.
  2. Os principais tipos são de ângulo aberto e ângulo fechado.
  3. Problemas de idade e tireoide aumentam o risco de glaucoma.
  4. Os sintomas podem incluir dor severa nos olhos.
  5. O tratamento inclui cirurgia e medicamentos

Perguntas frequentes

O que é considerado pressão ocular normal?

A pressão média dos olhos é de aproximadamente 15. No entanto, a faixa de pressão normal dos olhos é muito maior. A pressão da maioria das pessoas fica entre 10 e 21, mas isso varia muito.

Por isso, é extremamente importante consultar um especialista em cuidados oculares para receber um exame minucioso e determinar se sua pressão ocular é problemática.

Como a pressão dentro do olho e outros fatores afetam a visão e o glaucoma?

O Glaucoma costuma ocorrer em pessoas que têm a pressão ocular elevada, mas a doença também se desenvolve em pessoas com pressão ocular normal ou até inferior ao normal. 

O que causa perda de visão são os danos no nervo óptico, provocados pelo aumento da pressão. Em alguns casos, indivíduos com pressão ocular maior do que o normal não apresentam os sintomas de glaucoma.

Por isso, somente realizando um teste de campo visual é possível determinar se há alguma perda de visão periférica.

Quais recursos estão disponíveis para ajudar pessoas com glaucoma e seus cuidadores?

Atualmente há muitos recursos disponíveis para pessoas com baixa visão. Inclusive, existem diversos profissionais de baixa visão em clínicas oculares. 

O ideal é conversar com seu oftalmologista para que ele te encaminhe para um centro de reabilitação de visão.

Outra dica é modificar o ambiente para torná-lo mais acessível. Assim, você pode usar aparelhos de baixa visão, desenvolver seus sentidos de audição e toque e praticar usando sua visão periférica.

Usar lupas e outros dispositivos ópticos também prescritos podem auxiliar na leitura e outros trabalhos próximos, como costura ou modelagem. 

Investir em materiais de áudio, bem como recursos que leem jornais e revistas no computador e smartphone também pode ajudar no dia a dia.

Quantas vezes devo ver meu médico oftalmologista?

Após o diagnóstico do glaucoma, você pode precisar verificar sua pressão ocular semanalmente ou mensalmente até que ela fique controlada. 

No entanto, mesmo com a pressão ocular em um nível seguro, vai ser necessário consultar seu médico várias vezes por ano para exames. 

Fontes

Glaucoma.org

Bright Focus

Mayo Clinic

Health Line

Medical News Today

Hopkins Medicine

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lenscope

Somos uma Health Tech que faz uso do que há de mais moderno na tecnologia para transformar a jornada de compra de lentes para óculos no Brasil. Com nosso serviço 100% online, você faz as lentes do seu óculos de grau pela internet, sem precisar sair de casa.

E, para nos ajudar a continuar desenvolver tecnologias exclusivas no Brasil e no Mundo, fomos selecionados para o programa Creative Startups da Samsung, além de fazer parte do Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Israelita Albert Einstein, considerado um dos melhores hospitais da América Latina. Também fazemos parte da Supera, incubadora da Universidade de São Paulo (USP/FM-RP) e do Cubo Itaú, um dos principais ecossistemas de startups do Brasil.

Conte com a gente para ver e se sentir bem.

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *