Astigmatismo: o que é, sintomas, tratamentos e muito mais

0
(0)

O astigmatismo é uma ametropia, ou seja, um erro refracional que leva a uma dificuldade para ver de perto e para longe. É muito comum, assim como as outras ametropias existentes, como a miopia, a hipermetropia e a presbiopia. Isso acontece na maioria das vezes devido ao formato oval da córnea, primeiro tecido transparente na parte anterior do olho. Na maioria das vezes, pode ser corrigido com uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Nesse artigo, vamos te ajudar a entender esse problema de visão tão comum na vida de muitas pessoas, além disso, vamos ajudar a esclarecer dúvidas sobre os tratamentos desse erro refracional.

O que causa astigmatismo?

Na parte anterior do olho, temos duas lentes convergentes, a primeira e mais anterior é a córnea, responsável pela grande maioria dos astigmatismos existentes. Mas esse erro refracional também pode acontecer por alterações da superfície do cristalino (astigmatismo lenticular). Toda vez que uma dessas lentes convergentes oculares não apresentam uma superfície regular, ou seja, redonda, assumindo uma forma oval, temos um astigmatismo. Isto provoca um erro refrativo que distorce a luz quando esta entra nos olhos.

Dessa forma, múltiplos pontos focais são formados na área central da retina, tecido este que funciona como o filme de uma máquina fotográfica, quando o normal seria que houvesse apenas um ponto de foco na retina. É por esse motivo que, quem tem astigmatismo, enxerga os objetos que estão próximos e longe embaçados, ou melhor, distorcidos em um eixo.

Astigmatismo

Visão normal: um ponto focal e com astigmatismo: diversos pontos focais.  Exemplificando, a córnea de um olho normal tem o formato redondo (igual a uma bola de basquete), com o mesmo grau de curvatura em toda sua extensão. Nesses casos, há apenas um ponto de foco de luz e a visão é nítida. Mas, quem possui astigmatismo, a córnea apresenta um formato oval (igual a uma bola de futebol americano), com um eixo mais curvo que o outro. Por isso, a luz se propaga de maneira mais difusa e causa os diversos pontos de foco da luz na retina.

Então, podemos dizer que é uma diferença na forma como a luz é refratada.

Veja os tipos de astigmatismos que existem.

Sintomas de astigmatismo

  • Visão embaçada;
  • Dificuldade para enxergar de perto. Por exemplo: ao fazer uma leitura;
  • Dificuldade para enxergar de longe. Como: ler placas na estrada;
  • Dores de cabeça e nos olhos
  • Cansaço ocular;
  • Sensibilidade à luz, vertigem e enxaqueca em ambientes bastante iluminados (fotofobia).
  • Confundir letras ou números parecidos. Por exemplo: trocar M por N ou H; número 8 por 0 ou 6.
  • Apertar os olhos para enxergar com nitidez, podendo levar a rugas na testa.
astigmatismo

Principais sintomas de astigmatismo

Caso você apresente qualquer um desses sintomas, nós recomendamos que você procure o seu médico oftalmologista de confiança para que ele possa dar o diagnóstico completo.  E quanto mais cedo diagnosticado, menores as chances de que problemas mais graves se desenvolvam em sua visão.

Mesmo não substituindo a consulta com o oftalmologista, existem testes de de astigmatismo online e gratuitos que podem te ajudar a detectar se você tem esse problema de visão ou se ele aumentou ou diminuiu. Esses são testes de triagem, sendo apenas um autoexame e que não substitui uma consulta com um oftalmologista. Então, se você perceber qualquer divergência na sua visão, procure um oftalmologista de confiança para poder ajudar a resolver o seu problema o quanto antes.

astigmatismo

Astigmatismo e miopia são a mesma coisa?

Astigmatismo e miopia não são a mesma coisa. Miopia é a dificuldade em enxergar de longe, geralmente pelo olho ser maior que o normal, enquanto o astigmatismo é a dificuldade para enxergar tanto perto quanto longe, geralmente pela córnea ser oval. Lembrando que em muitos casos, ambos erros refracionais podem coexistir. Ou seja, o paciente pode ter um olho um pouco maior que o normal e com a córnea oval. Nesses casos, o paciente tem miopia com astigmatismo.

Os sintomas são bastante parecidos, mas é preciso ficar atentos, pois qualquer alteração na sua visão é um sinal que você deve ir ao oftalmologista.

miopia

Sintomas de miopia são parecidos com astigmatismo

Aliás, aqui vai outra atenção: astigmatismo também não é a mesma coisa que hipermetropia.

Tratamentos

O astigmatismo pode ser corrigido com uso de óculos de grau, lentes de contato ou cirurgias refrativas: sendo as técnicas mais comuns o PRK e o LASIK.

Cirurgia refrativa

Quem possui um grau moderado ou alto de astigmatismo, a procura por esse procedimento é bem grande. Afinal, muitas pessoas querem parar de usar óculos. Mas para realizar esse procedimento, o paciente precisa ter mais de 21 anos, estabilidade de grau há aproximadamente 1 ano e exames da anatomia corneana normais. Os principais exames são: topografia, paquimetria e tomografia com Pentacam. 

Esses exames precisam demonstrar uma superfície corneana anterior e posterior regulares e sem critérios de fragilidade, bem como uma espessura residual suficiente. Assim, após o LASER, que irá afinar a córnea, esta continue com uma resistência para não entortar no futuro. Ou seja, para não apresentar complicações como as ectasisas (abaulamentos corneanos anteriores pós cirúrgicos), após o LASER afinar a córnea durante o processo.

Quando os exames não indicam essa resistência necessária, a córnea pode entortar pra frente devido ao seu amolecimento.  Para você ter uma ideia, é como afinar a parede de um prédio. Quando isso acontece, o prédio começa a entortar ou embarrigar antes de cair. Por isso, os exames pré-operatórios são tão importantes nos casos das cirurgias refrativas. As técnicas mais populares para realização de cirurgia refrativa são o PRK e o LASIK.

Saiba como é o procedimento de cada uma dessas cirurgias.

Lente de contato

Quando o assunto são lentes de contato, as mais procuradas são as gelatinosas. Mas também existem as lentes de contato rígidas. As lentes de contato atuam da mesma forma que os óculos, mas são mais trabalhosas pois exigem uma higienização diária adequada e troca periódica para evitar infecções oculares.

As lentes gelatinosas para correção do astigmatismo são chamadas de tóricas, pois irão apresentar um grau num eixo visual e outro grau no eixo perpendicular. Já nas lentes de contato rígidas, esta encosta na córnea, tornando sua superfície redonda novamente (somente quando em contato com o olho).

Óculos de grau

Em muitos casos, o astigmatismo é acompanhado de miopia ou hipermetropia. Portanto, as lentes para esse problema de visão requer um grau adicional, o grau cilíndricoDessa forma, as lentes dos óculos para astigmatismo são chamadas de lentes tóricas ou lentes cilíndricas. Além disso, outra medida também é levada em consideração, a medida do eixo. É por isso que na receita para as lentes de astigmatismo, a coluna do grau cilíndrico é sempre acompanhada do valor do eixo.

A influência do eixo no óculos de grau

Lembramos que atualmente o astigmatismo é prescrito com o cilindro negativo, mas alguns aparelhos mais antigos, a receita é prescrita com o cilindro positivo pelo oftalmologista, não mudando a confecção do óculos. O grau de astigmatismo e a sua localização no eixo do olho influenciam bastante na espessura da lente do óculos e no tipo de lente e armação que você precisa escolher para ter um bom resultado. Essa medida do eixo varia de 0 a 180 graus e indica a localização do astigmatismo em sua córnea.

Se o valor estiver de 0 a 25 ou entre 165 e 180 graus (nos cilindros negativos), as lentes ficarão mais grossas nas bordas superior e inferior dos óculos e mais finas na parte temporal da armação, que é o lado próximo da têmpora, onde estão fixadas as hastes.

Inclusive, este é o lado do óculos que mais é observado para verificar se as lentes ficaram finas ou não. Mas, se o valor do eixo do seu grau for 70º e 110º, ou bem próximo de 90º, infelizmente as lentes ficam mais grossas na parte temporal. Veja na tabela a relação do eixo astigmatismo com a espessura da sua lente. Mas, calma. Isso pode ser resolvido. Basta escolher por uma alto índice de refração.

astigmatismo

Graus de astigmatismo

Se você tem astigmatismo ou pode vir a desenvolver esse problema de visão, não precisa se preocupar. Quando antes feito o diagnóstico, mais fácil será buscar a solução mais simples que normalmente é o uso de óculos de grau ou lentes de contato. Para isso, é necessário que você entenda a importância de cada lente de acordo com seu tipo de grau.

  • astigmatismo baixo – até 3 graus
  • astigmatismo moderado – de 3 a 6 graus
  • astigmatismo alto – mais de 6 graus

Astigmatismo tem cura?

O astigmatismo tem cura somente com cirurgia refrativa. Mas, como nem todos podem operar, as correções também podem ser feitas ao longo do tempo com óculos ou lentes de contato. Por isso, é muito importante manter a frequência de consultas com seu oftalmologista, pois dessa forma é possível acompanhar a evolução (aumento ou diminuição) do seu grau.

Lentes para astigmatismo

As lentes de astigmatismo disponíveis são as lentes CR-39 (ou Orma), Lentes de policarbonato, Lentes 1.67, Lentes 1.74 e Lentes 1.76. Quando você conhece as opções disponíveis no mercado, é possível economizar e também levar os tratamentos para as suas lentes. E lembre-se, quanto maior o índice de refração, mais finas suas lentes.

astigmatismo

E se você ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão, é só deixar nos comentários que vamos te ajudar.

Esse artigo foi revisado pelo Dr. Kleyton Barella – CRM: 122.735 – é médico Oftalmologista do Instituto Penido Burnier. Para mais informações, acesse: https://drbarella.com.br/

Atualizado em 29 de março de 2021.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Dr. Kleyton Barella

Dr. Kleyton Barella - CRM SP 122.735 - é médico oftalmologista do Instituto Penido Burnier, especialmente interessado em oftalmologia geral, cirurgia minimamente invasiva de catarata e glaucoma, lentes de contato e cirurgia refrativa. Tem Doutorado em Oftalmologia pela UNICAMP (2011-2015) e é:
Membro da associação Brasileira de Catarata e Cirurgia Refrativa (ABCCR);
Membro da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG); Membro da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (SOBLEC); Membro Titular da Academia Americana de Oftalmologia (AAO); Revisor do periódico International Journal of Retina and Vitreous; Colaborador de ensino dos departamentos de glaucoma e catarata da Fundação Dr. João Penido Burnier e glaucoma da UNICAMP.

Para mais informações, acesse: https://drbarella.com.br/

Loading comments...